Antes tarde do que nunca! A FIFA decidiu dar um passo adiante no tempo, e apostar na tecnologia para eliminar algumas das polêmicas que podem surgir em jogos, evitando assim erros que podem ser absurdos sejam cometidos. A entidade máxima do futebol decidiu adotar o sistema de identificação de passagem da bola na linha do gol, para determinar se a bola entrou ou não.

São dois sistemas que foram aprovados pela FIFA. Um deles é o “olho de falcão”, semelhante ao utilizado hoje nos principais torneios de tênis (principalmente jogos de Grand Slam), e o outro é a tecnologia de sensores nas traves. Os dois sistema serão utilizados como ferramentas oficiais de verificação na Copa das Confederações, que acontece no meio de 2013, e na Copa do Mundo, em 2014, ambos a serem realizados no Brasil.

As tecnologias foram testadas no Mundial de Clubes de 2012, mas até chegar ao ponto de aprovação da FIFA, as duas ferramentas tiveram que passar por muitos testes. O ponto culminante para a FIFA acordar para o lado tecnológico da questão foi o “gol fantasma” de Frank Lampard na Copa do Mundo de 2010. A bola entrou claramente no gol da Alemanha, e isso custou a eliminação da Inglaterra no torneio. A FIFA testou exaustivamente os dois sistemas, e comprovou que ambos funcionam de forma perfeita.

A tecnologia do “olho do falcão” se baseia em câmeras instaladas em pontos estratégicos do campo, que vão gravar o gol de diferentes ângulos. Quando todo o sistema está calibrado, ele passa por um software que “visualiza” a bola e analisa se ela está completamente dentro do gol.

O outro sistema certificado é o mais fácil e compacto para se instalar. Basicamente se vale da instalação de sensores nas traves. Esses sensores ficam conectados a um computador, que analisa a informação transmitida pelas traves. Com os dois sistemas, os árbitros recebem a informação do gol (ou não) no seu relógio de pulso em até um segundo depois da jogada.

Via The Next Web