Windows_XP-07

O Windows XP, lançado em 2001, finalmente chegou ao seu fim de ciclo. Depois de muitos atrasos e prorrogações, a Microsoft retirou hoje (08) o suporte técnico para essa versão. Felizmente, existem outras opções que você, que ainda usa o WinXP, pode escolher na hora de atualizar o seu velho equipamento, e ainda tomar partido de alguma modernidade tecnológica.

Mas… o que quer dizer esse tal “fim de suporte técnico”?

A partir de hoje, a Microsoft encerra o suporte e as atualizações de segurança do Windows XP. Os computadores com esse sistema operacional seguem funcionando, mas não mais receberão parches que protegem os sistema de futuros ataques e vulnerabilidades.

Mesmo que você continue com a proteção do anti-vírus que está instalado em sua máquina (se você for alguém minimamente inteligente, usa alguma coisa para proteger a sua máquina), é recomendável que você mude de sistema operacional. A não ser que essa máquina nunca fique conectada na internet (algo que, nos tempos de hoje, é algo quase impossível).

Se você decidir pela troca, estas são as alternativas disponíveis:

Atualizar para o Windows 8.1

windows-menu-iniciar-novo

Para você atualizar o seu computador para o Windows 8.1, você precisa ter um equipamento com as seguintes configurações:

* Processador de, pelo menos, 1 GHz
* 2 GB de RAM
* 20 GB de armazenamento em disco
* Suporte a resolução de tela de, pelo menos, 1024 x 768
* Compatibilidade com o DiretX 9

Convenhamos: não são requisitos lá muito exigentes. Mas, só para garantir, é sempre bom fazer o download e executar o Assistente de Atualização da Microsoft (clique aqui para download). Também é possível executar esse assistente online, ou buscar item por item, na Central de Compatibilidade da Microsoft.

A partir desse assistente, é possível confirmar qual versão do Windows você deve baixar e comprar online. Também é possível ir até a loja de sua preferência e comprar um disco no formato físico (DVD).

O Windows 8.1 não é barato, ainda mais para quem não atualizou o sistema no período promocional. Vale lembrar que a versão Pro tem algumas funções adicionais, mas a menos que você conte com necessidades muito específicas, não vale a pena pagar a mais pelos extras.

Diferente das edições anteriores, os discos do Windows 8.1 comprados em lojas não fazem distinção entre versões de atualização ou completas. Todas as cópias do software são completas, e permitem a livre escolha entre a atualização ou a instalação do zero.

E se eu quiser ficar no Windows 7?

É claro que você pode fazer isso. O problema é que, como parte de sua campanha para impulsionar o Windows 8, a Microsoft tornou a missão de encontrar uma cópia legal do Windows 7 uma missão (quase) impossível. Além disso, essa verão do sistema operacional já não conta com suporte técnico, restando apenas as atualizações de segurança.

A menos que você necessite do Windows 7 por um motivo muito concreto, não vale a pena deixar de lado o Windows 8, ainda mais agora que a sua interface encontrou um meio termo entre o uso com telas sensíveis ao toque e o uso com teclado e mouse.

Ir para o Linux

linux-mint

Se o Windows 8.1 te parece caro, e você não quer recorrer a “alternativas pouco legais”, não se esqueça do Linux. Ele existe!

Os tempos onde era necessário ser um expert em programação para instalar e gerenciar um sistema baseado no Linux ficaram para trás. Na internet, existem múltiplas opções na hora de encontrar distribuições que sejam amistosas com os mais novos. As mais recomendadas são o Ubuntu e o Linux Mint. Esta última ainda roda muito bem em máquinas antigas e/ou com pouca potência.

Outras opções

Não só de Windows e Linux vive o computador. O Chrome OS é uma alternativa a se considerar, se as suas necessidades são muito simples como consultar e-mails, navegar na internet, acessar as redes sociais, entre outras. Além disso, o Chrome OS agora oferece compatibilidade com alguns aplicativos do Windows.

Também vale a pena recomendar o OS X. O sistema operacional da Apple tem uma sólida credibilidade, e é muito bem vindo para o uso pessoal ou profissional. O maior problema do OS X (e do Chrome OS) é que é necessário modificar completamente o dispositivo. Logo, recomendo essas alternativas como secundárias.