smarttvphilipswuakitv.jpg

 

 

Para aqueles que alertaram “não vai dar tempo”, meus parabéns. Vocês acertaram. O Ministério das Comunicações decidiu postergar o cronograma de desativação do sinal de TV analógica, que agora tem o seu fim em definitivo marcado para 2018, alterando assim o texto do decreto que regulamenta a implantação da TV digital no Brasil. Inicialmente, o fim estava previsto para até 2016, mas parece que alguém lá dentro viu que estamos em 2013, e a maioria das cidades brasileiras sequer esboça receber o primeiro canal com sinal digital.

Na verdade, a mudança do formato analógico para o digital também passa pela adaptação das famílias brasileiras ao novo formato de TV. É o que pensa o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo. O que o ministro não cita é que o processo de digitalização das inúmeras afiliadas dos canais existentes ainda é muito lento. Na região que eu moro (Araçatuba/SP), só agora em março de 2013 que a Rede Globo resolveu iniciar as transmissões em sinal digital (HDTV) de sua afiliada. Os demais canais sequer se manifestam sobre o assunto.

Por que? Porque isso envolve um grande investimento, sem um retorno imediato. Mas essa é uma outra história.

Fato é que, a partir de agora, o “início do fim” do sinal analógico está previsto para acontecer entre os anos de 2015 e 2018, com um desligamento gradativo desse sinal. Além disso, o Governo Federal prevê a implantação da tal “bolsa novela”, que vai oferecer benefícios para a população de baixa renda comprar os receptores para o sinal digital.

Por outro lado, um segmento prejudicado é o da telefonia móvel. O sinal de TV analógica ocupa hoje a frequência de 700 MHz, que uma vez desligado (algo que foi antecipado para 2015), essa faixa de frequência será ocupada pela internet 4G, para dispositivos móveis. Com a decisão anunciada ontem (09), essa faixa de 700 MHz só começa a ser ocupada para a internet móvel daqui a dois anos, e mesmo assim, de forma gradativa, em locais selecionados.

Resumindo: para a Copa do Mundo de 2014, todos os envolvidos terão que se virar com o 4G que está em atividade (nas capitais que receberão jogos). Para os Jogos Olímpicos de 2016, existe a chance do 4G de 700 MHz estar em funcionamento. No Brasil todo, só em 2018. Até lá, se você mora no interior do Brasil e comprou um iPhone 5, certamente já terá trocado o seu smartphone por outro compatível com alguma frequência 4G válida no Brasil, não é mesmo?

Via Folha