Tom Wheeler

A Comissão Federal das Comunicações dos Estados Unidos (FCC) aprovou hoje (15) a sua impopular proposta para estabelecer novas regras da neutralidade da Internet do país, tal e como era conhecido até agora. Tom Wheeler, presidente da FCC (foto acima) conseguiu que fosse aprovado o texto que, na sua essência, permite a priorização do tráfego online em função do que cada empresa paga para oferecer seus produtos e serviços.

A partir de agora, começa um prazo onde o texto será submetido ao debate público antes de sua aprovação definitiva, algo que deve acontecer até o final do ano. É importante deixar bem claro que, pelo menos por enquanto, o texto segue sendo uma proposta, e a normativa ainda não está 100% aprovada. Porém, a votação de hoje permite que o texto siga adiante, e esta é uma má notícia, já que o plano está cada vez mais próximo de se tornar realidade.

O plano de neutralidade da rede da FCC foi alvo de duras críticas por parte de quase todos os setores da Internet. Por um lado, a proposta pretende estabelecer as bases de uma internet aberta e neutra. Por outro lado, há pontos muito ambíguos. O principal deles e a possibilidade de grandes empresas pagarem para priorizar o seu tráfego. Durante sua explanação de hoje, Wheeler esclareceu que as novas regras não autorizam tal prática. Ok. O problema é que o texto também não proíbe que isso aconteça.

O que acontecer com as novas regulações de Internet nos Estados Unidos é muito mais importante para todos do que aparentemente parece. As decisões nos Estados Unidos podem servir de precedentes para que outros países tentam regular o controle da neutralidade da rede, como estão a ponto de fazer os Estados Unidos. Teremos que esperar e observar o debate público dessa questão, mas do jeito que as coisas estão, a Internet libre e aberta como conhecemos está mais perto de desaparecer nos Estados Unidos.

Via SlashGear