iPhone

 

A batalha da Apple contra o FBI por causa do desbloqueio do iPhone 5C pertencente a um dos autores do tiroteio em San Bernardino foi um dos destaques de 2015.

A Apple se negou a colaborar com o FBI, e muitas empresas de tecnologia apoiaram essa decisão. No final de março de 2016, o FBI confirmou que eles conseguiram desbloquear o iPhone por conta, mas não revelou detalhes.

Agora sabemos que a agência governamental pagou US$ 900 mil por uma ferramenta de terceiros. O dinheiro saiu dos impostos dos norte-americanos, o que abre um novo debate sobre os detalhes da aquisição dessa ferramenta.

O valor foi confirmado em 5 de maio por James Comey, diretor do FBI, em uma audiência de supervisão do Comitê Judicial do Senado. A senadora Dianne Feinstein confirmou a informação.

Comey afirmou que “haviam boas razões para violar o dispositivo”, e que valia a pena o investimento. Há quem diga que o software foi desenvolvido pela empresa forense Cellebrite.

 

 

O valor gasto para a ferramenta e o uso do dinheiro dos contribuintes foram dados revelados, mas as demais informações seguem como confidenciais, principalmente a identidade do vendedor da ferramenta.

Oficialmente, o FBI não confirma o valor, apesar da senadora citar diretamente Comey. Isso foi o suficiente para que órgãos de notícias apresentem um processo de registros públicos contra o GFBI, com o objetivo de tornar público os detalhes da compra e, principalmente, a identidade de quem autorizou a compra.

Vamos esperar por maiores informações.

 

Via CNBC