apple-logo-teaser

O FBI afirma ser capaz de desbloquear o iPhone utilizado por um dos assassinos do ataque de San Bernardino sem a ajuda da Apple.

O órgão do governo enviou uma documentação para a corte que analisa o caso para que suspenda a audiência marcada para hoje (22). Explicam que “uma parte externa” demonstrou aos investigadores policiais um possível método para desbloquear o iPhone sem comprometer a integridade dos dados contidos, afirmando que encontraram vias alternativas de investigação fora do governo dos Estados Unidos. Logo, se o método é viável, a necessidade da assistência da Apple nesse caso deve ser eliminada. O FBI pediu a paralisação do caso até o dia 5 de abril, que é quando os resultados seriam apresentados.

A informação chega depois do anúncio de Tim Cook no evento da Apple, onde o executivo afirmou que a empresa não vai voltar atrás na sua recusa para violar a sua própria segurança. O FBI não explica qual seria essa “parte externa” que é capaz de desbloquear o iPhone e como eles fariam isso. Recentemente, uma equipe de pesquisadores da Universidade Johns Hopkins descobriu uma vulnerabilidade no serviço iMessage, que poderia ser utilizada para acessar o smartphone.

Há quem diga que o FBI está blefando, como uma estratégia para que a Apple exponha algumas de suas práticas ou tecnologias. Ao mesmo tempo, um grupo de senadores está preparando um projeto de lei que daria aos juízes federais uma base jurídica clara para emitir ordens que obrigam a Apple a desbloquear o tão polêmico iPhone.

Via NYT, Fox News, Reuters