Os modelos Galaxy S6, Galaxy S6 Edge e Galaxy S6 Edge Plus da Samsung tiveram os seus ciclos de vida oficialmente encerrados, já que não vão receber novas atualizações.

Os rumores iniciados em novembro de 2017 davam esperanças aos seus proprietários que os dispositivos receberiam o Android Oreo em algum momento no futuro. Porém, essa saga chega ao fim com o desfecho mais realista.

Por mais tentadora que fosse essa hipótese, ela nunca foi factível, se tornando basicamente uma fake news. Agora, a decisão anunciada ontem (2) é oficial e definitiva. Nenhum desses modelos vão receber atualizações do Android.

Logo, é muito provável que os usuários de smartphones da família Galaxy S6 ficarão vulneráveis a falhas, brechas ou lacunas de segurança. Esta é a principal desvantagem do Android em relação ao iOS (verdade seja dita).

Lembrando que as atualizações são fornecidas pela Google, mas são as marcas que decidem quais modelos vão receber os updates, e quando eles estarão disponíveis para os dispositivos.

A Google libera todos os meses um novo patch de segurança, mas os fabricantes precisam corrigir problemas de suas respectivas interfaces de usuário. A Samsung, por exemplo, oferece um patch de correção a cada três meses, e de forma alternativa um update mensal é liberado, dependendo do modelo em questão.

A linha Galaxy S6 foi lançada em 2015, e chegaram ao mercado com o Android 5.0 Lollipop. Ou seja, passou por pelo menos duas atualizações, o que é basicamente o que todos os fabricantes prometem manter seus dispositivos atualizados.

Para o usuário comum, as diferenças no uso diário não são tão grandes de forma imediata, e a família Galaxy S6 ainda recebeu o patch de segurança de fevereiro. Porém, depois disso, eles ficam desprotegidos.

A partir de agora, os usuários poderão recorrer apenas às ROMs não oficiais e customizadas, que felizmente existem aos montes, permitindo um uso desses smartphones até o limiar das capacidades do hardware.

 

Via Samsung