smartphone-meio-de-pagamento

O futuro dos sistemas de pagamento e transações em geral tem um claro protagonista: o smartphone. Tanto bancos como o comércio em geral adaptam gradualmente os seus sistemas para que o cliente utilize o smartphone para pagamentos, e Apple, Google, Samsung e LG apresentaram suas soluções nesse sentido.

Porém, nem tudo é eletrônico, e o dinheiro em espécie ainda é algo funcional. Este é o limite para as plataformas de pagamento eletrônico, e aí entram em ação os cartões de crédito em caixas eletrônicos. Porém, algumas máquinas já estarão adaptadas ao Android Play, Apple Pay e Samsung Pay ao longo de 2016.

Lá fora, três entidades norte-americanas planejam esse movimento: Bank of America, Wells Fargo e JPMorgan Chase. Eles querem que os smartphones atuem como cartão de crédito, suprindo a necessidade deste na hora de sacar dinheiro em espécie. Tal possibilidade foi levantada no ano passado pelas duas primeiras instituições, que anunciaram o desenvolvimento de soluções relacionadas com a tecnologia NFC nos caixas automáticos, citando o Apple Pay em seu splanos.

A JPMorgan Chase também deu sinais nesse sentido, anunciando que os caixas adaptados aos saques via código de smartphone chegariam no final de 2015, com expansão das funções prevista até 2018.

Ou seja, dessas três espera-se que seus caixas sejam atualizados ao longo desse ano. No Brasil, alguns bancos como Bradesco e Itaú já anunciaram que estudam a compatibilidade com o Apple Pay e Samsung Pay, mas maiores detalhes não são revelados.

 

As vantagens do smartphone em relação aos cartões de crédito

caixa-eletronico

Por exemplo, você vai ver um jogo de futebol e não quer levar os seus cartões de crédito na carteira, por uma questão de comodidade e segurança. Levar apenas o smartphone pode resolver o problema, já que ele pode atuar como cartão de crédito para sacar dinheiro em espécie, em casos de necessidade.

Também é melhor por evitar as clonagens de cartões. O uso do smartphone elimina esse risco, por não permitir nenhuma leitura de tarja magnética ou outro tipo de escâner, sendo apenas um processo via NFC ou recebimento de SMS. Não só para saques, o smartphone permitiria operações e funcionaria como sistema de segurança como leitores de digitais ou códigos de segurança mais complexos que o habitual PIN de quatro dígitos dos cartões de crédito.

Logo, os caixas eletrônicos com suporte para plataformas móveis será algo que veremos se popularizar ao redor do mundo, sendo o movimento por parte das entidades norte-americanas e de ATM o primeiro impulso. Os equipamentos da Bank of America em algumas regiões (San Francisco, Nova Iorque e Silicon Valley) começam a funcionar em fevereiro.

Via Slash Gear