Fairphone 1

A Fairphone chegou ao mercado com a proposta de manter os seus smartphones “sempre” funcionais. Mas depois de quatro anos, eles tiveram que encerrar o suporte ao Fairphone 1, por falta de peças (e sem atualizar para o prometido Android 4.4).

Mesmo com boas intenções de reparar e trocar suas peças com facilidade, na prática isso ficou incompatível com a rápida evolução do setor. Logo, faltou componentes para o Fairphone 1 com apenas quatro anos.

Os componentes até poderiam seguir em produção pelos fabricantes, mas a Fairphone teria que garantir a compra de uma quantidade mínima de peças para isso, o que torna o seu negócio financeiramente insustentável. A ideia agora é comprar um stock mínimo de peças para reparação quando eles tiverem capital para isso.

Na prática, estamos falando de um smartphone com quatro anos de vida, que hoje é obsoleto: tela de 4.3 polegadas (960 x 540 pixels) processador MT 6589 e 1 GB de RAM. Mesmo assim, é uma quebra no compromisso assuimido, que fica mais grave já que o Fairphone 1 jamais recebeu o (também já desatualizado) Android 4.4.

Nesse último item, não tem desculpa para a Fairphone, já que são eles que fabricam os dispositivos. Foi uma novela longa, pois no final de 2014 eles reclamaram que a culpa era da MediaTek, que não oferecia o código fonte para trabalhar na atualização. Porém, em setembro de 2015, o código foi liberado, e o Android 4.4 chegaria ao Fairphone 1 em 2016. Algo que, obviamente, não aconteceu.

Pelo menos o Fairphone 2 recebeu o Android 6.0 em abril de 2017, quando o ideal já era receber o Android 7.0, uma vez que o Android 8.0 está a caminho.

Honestamente? Melhor do que obter os componentes para reparações seria garantir um software atualizado pelo maior tempo útil.

 

Via Fairphone