facebook-m

O Facebook anunciou o seu assistente pessoal. Se chama ‘M’, e ele já estaria em testes entre alguns usuários dentro do aplicativo de mensagens do Messenger.

Como explica o responsável pelo novo serviço dentro do Facebook, David Marcus, o Facebook M chegará integrado no aplicativo de mensagens com um diferencial em relação aos seus rivais: ele pode realizar tarefas ‘reais’, como comprar um produto pela Internet ou reservar um quarto de hotel se assim desejamos.

 

Inteligência artificial, com muita ajuda humana

facebook-m-02

Este é o diferencial que o Facebook M vai se apoiar: no fator humano. Marcos falar disso abertamente, indicando que além da inteligência artificial, teremos pessoas reais por trás do seu funcionamento. O Facebook os denomina como ‘treinadores M’, que são encarregados para que nenhuma pergunta ou tarefa fique sem resposta ou ação.

Marcus também deixa claro que fazer algo diferente no smartphone é uma prioridade para o Facebook, além de fazer dinheiro executando ações que incluem transações apoiadas no que o próprio Facebook já sabe sobre nós. Aqui, fica claro o motivo pelo qual eles deixaram o PayPal como um dos responsáveis pelo M.

Porém, nos primeiros testes, o M não reconhecerá dados de nossas atividades no Facebook (e só o fará posteriormente se assim o usuário permitir), e as respostas que serão geradas, assim como as interações, se basearão exclusivamente naquilo que nós vamos indicando na conversa. Iniciar o M é tão simples como enviar uma mensagem para um novo contato.

O assistente do Facebook vai interpretar o que queremos fazer ou buscar, e iniciará uma conversa que pode acabar em uma ação correta ou não. Em todos os casos, o usuário não saberá se está conversando com um computador ou com um treinador M.

facebook-m-03

Por enquanto, o Facebook não revela detalhes sobre quantos treinadores M estão trabalhando no projeto, mas no futuro podem ser milhares que estarão atendendo as solicitações dos usuários. O custo operacional (partindo do princípio que eles contam hoje com pelo menos 700 milhões de usuários ativos) poderá ser imenso para eles.

Sobre isso, Marcus também deixa claro: o lucro que eles podem obter com as transações que eles vão intermediar, assim como os acordos com estabelecimentos comerciais para facilitar a contratação de produtos e serviços pelo M compensarão todo o investimento.

Vamos ver.

Via Wired