650_1000_zuckerberg

De acordo com a Reuters, o Facebook estava interessado em realizar um investimento na Xiaomi, algo nada surpreendente se levarmos em conta os últimos movimentos de Mark Zuckerberg (e a quantidade de dinheiro gasta por ele em pouco tempo).

A fonte afirma que no último mês de outubro aconteceu um encontro entre Mark Zuckerberg e o CEO da Xiaomi, Lei Jun. Na reunião, aparentemente foi discutido sobre um potencial investimento, que não chegou a acontecer. As implicações políticas e comercias de uma operação desse porte são muito complexas de evoluir em um jantar, que foi o único encontro que esses dois CEOs tiveram.

O que buscava o Facebook era ter participação em uma empresa que é adorada na China, o que poderia abrir portas no país asiático. Por outro lado, a Xiaomi teria acesso à um grande número de clientes em potencial, ou pelo menos poderia ver como funciona um gigante social como o Facebook. Para Mark, interessava especialmente a expansão no mercado chinês (chegou a aprender o Mandarin para isso).

Um movimento como esse não agradaria em nada os rivais, principalmente a Google, que é a encarregada pelo sistema operacional dos smartphones da Xiaomi.

A Reuters conclui informando que o investimento que Mark queria fazer na Xiaomi não era muito grande. Ele basicamente queria entrar no negócio deles. Não era no mesmo nível das compras do WhatsApp ou Instagram. O que é uma realidade é que a Xiaomi está ampliando o seu capital, com investidores afincados na China e em Hong Kong.

Via Reuters