As redes sociais são a principal via de comunicação das redes terroristas, inclusive para atrair os fanáticos interessados por sua causa. E as principais redes sociais do planeta decidiram fazer algo para combater isso.

São as vias mais utilizadas e mais difíceis de serem controladas. Por isso, Facebook, Microsoft Twitter e YouTube (Google) se uniram para frear de forma conjunta esses canais de informação.

Essas gigantes criaram uma base de dados compartilhada onde incluirão digitais únicas para imagens e vídeos adicionados nas páginas utilizadas para recrutar novos membros.

Ao compartilhar essas informações com as empresas, será bem mais simples identificar e deter conteúdos terroristas nas diferentes plataformas. A aliança deve oferecer uma maior eficiência no cumprimento das políticas das empresas, que proíbem a divulgação e propaganda terrorista.

Os sistemas detectarão de forma contínua as digitais registradas nas respectivas bases de dados, para evitar que o conteúdo seja publicado, mesmo no menor tempo possível visível.

Conforme o sistema vai entrando em funcionamento, cada serviço vai adicionar novos conteúdos de forma automática. O conteúdo detectado não será apagado automaticamente, mas sim o perfil ou a página onde ele for encontrado.

Os dados relacionados com a pessoa que enviou o conteúdo não serão compartilhados com agências governamentais, a não ser que os sites recebam uma solicitação por escrito. Isso visa proteger a privacidade dos usuários e permitir a livre expressão nas respectivas plataformas.