Sabemos que quando mencionamos as palavras “Facebook”, “publicidade” e “privacidade” em um mesmo post, muitos leitores já fecham a cara, desconfiados. E com razão. E foi justamente por causa desses que ficam com dois pés atrás com a rede social de Mark Zuckerberg que eles decidiram explicar melhor o que vão fazer no seu novo sistema de anúncios, para acalmar as almas mais exaltadas.

Por exemplo, no caso do Facebook Exchange, eles vão vender as oportunidades de publicidade em tempo real, de forma que as empresas tenham a oportunidade de promoverem suas marcas nos navegadores de usuários específicos, nos momentos mais oportunos. Nesse sistema, um anunciante pode pedir a presença no navegador de um cliente, transmitindo o hash de seu endereço de e-mail, que é obtido quando o usuário comprou algum produto ou serviço.

Com isso, o Facebook espera manter os usuários contentes, oferecendo uma opção para enviar queixas e comentários sobre uma publicidade específica. Eles ainda informam que o seu relacionamento com a Datalogix, empresa responsável por medir o êxito das campanhas de publicidade, foi auditada por uma terceira empresa, que se certificou que a privacidade do usuário será garantida por todo o processo.

O comunicado do Facebook conclui esclarecendo que “os anunciantes ajudam a manter o Facebook gratuito”, ainda que seja fato que não conhecemos praticamente ninguém que estivesse disposto a pagar para fazer parte de qualquer tipo de rede social.

Via Facebook