facebook-whatsapp

O Facebook acaba de anunciar a aquisição do WhatsApp, serviço de comunicação instantânea para dispositivos móveis. O valor da negociação foi de US$ 16 bilhões.

Durante meses, muito se especulou sobre qual empresa compraria o WhatsApp. Era um modelo de negócio que, com o volume de usuários que contavam em todo o planeta, já era difícil de se sustentar com os ingressos diretos que recebiam, além das diversas rodadas de financiamentos, vindos de diferentes fundos de investidores.

Tudo indicava que seria a Google que compraria o serviço. Porém, a rede social de Mark Zuckerberg confirma a compra, adicionando o aplicativo à sua lista de aplicativos adquiridos recentemente, entre eles o Instagram.

O Facebook está consciente que, ainda que o seu aplicativo de mensagens instantâneas funcione muito bem, ele precisa expandir, e chegar a mais lugares longe do seu território. Contar com uma base de mais de 450 milhões de usuários (70% ativos) que tem o WhatsApp pode ser a forma mais simples para obter essa dominância. mesmo que isso custe para Zuckerberg a “bagatela” de US 16 bilhões.

Não é pouco dinheiro. Ainda mais quando lembramos que o mesmo Facebook pagou US$ 1 bilhão pelo Instagram. Aliás, a Nokia custou para a Microsoft bem menos que isso.

Resta saber qual vai ser o seu futuro. Seguirá sendo um aplicativo independente? Tal como explica o WhatsApp em seu blog, eles seguirão autônomos e independentes. Seguirão com o mesmo modelo de negócios, e informam que de outra forma, esse acordo de hoje não seria concluído e anunciado.

O tempo vai dizer se eles vão manter a palavra, mas esperamos que a entrada do Facebook sirva para que o WhatsApp dê alguns passos para frente nos pontos em que ficou para trás: segurança presença em múltiplas plataformas, entre outras questões.

Ficaremos bem atentos às coletivas de imprensa de Mark Zuckerberg e Jam Koum na semana que vem, durante a Mobile World Congress 2014.

Via Facebook, WhatsApp