Se você usa os nomes Bruce Lee, Jackie Chan, Michael Jordan ou Dilma Rousseff no Facebook, os seus dias na rede social estão contados. Como a rede de Mark Zuckerberg quer que você use o seu nome real na rede, eles planejam mudar a sua política de privacidade e utilização de nomes no serviço, perguntando aos seus amigos se você está ou não utilizando o seu nome real no Facebook.

Isso se aplica ao uso de nomes que obviamente não são o seu, e não aos apelidos que seus amigos te chamam. Por exemplo, eu me chamo Eduardo, mas alguns amigos me chamam de “Du”, “Edu”, “Dudu”, e derivados. É claro que os apelidos não são meus nomes, mas caso eu use um deles como o meu nome de perfil da rede social, isso não vai necessariamente significar que estou usando um nome fake.

Por outro lado, se você utilizar um nome como “Robert California” no seu perfil de usuário, o Facebook vai perguntar para os seus amigos “Esse é o nome verdadeiro do seu amigo?”, com três opções de resposta: sim, não e “eu não quero responder”. É uma abordagem que beira a intimidação, e não creio que vai ser muito agradável para as pessoas se passarem por “dedo duro” para o Facebook.

O Facebook justifica a decisão informando que, em alguns casos em específico, não é seguro usar o pseudônimo para cadastros na web, e entende que a sua decisão não é apenas a mais segura, como também uma decisão sábia. Mesmo assim, isso pode causar problemas por dois pontos que não foram previstos: 1) aquelas pessoas que te adicionam como amigo, mas que nem sabe direito quem você é; 2) aquele falso amigo que te adiciona apenas para seguir seus passos, para te sacanear na primeira oportunidade.

Mas, para aqueles que já estão alarmados, vale registrar que, por enquanto, o Facebook considera a disponibilidade do recurso como “pequenos testes” no momento. Logo, por enquanto, nada mudou. Mas, se de repente, na sua janela de navegação aparecer algo parecido com a tela acima, você já sabe o motivo.

Via The Next Web