A essa altura, você viu toda a movimentação via Twitter sobre o evento Back to the Mac, promovido pela Apple hoje. E, se era usuário de um Mac (ou tinha o navegador Safari instalado em sua máquina), teve a chance de assistir tudo. Agora, você poderá ler, com calma, todas as novidades apresentadas por Steve Jobs e sua turma na tarde de hoje (manhã, na Califórnia).

Comida, café para os que estão chegando… enfim, tudo foi festa antes do evento de Cupertino começar. Mas, enfim, uma hora tudo tinha que ter um início, e começou com Steve Jobs agradecendo aos presentes. Jobs começa a conferência falando de alguns dados da empresa. Jobs chama Tim Cook, que começa falando que os Macs foram responsáveis por 33% das vendas da Apple no ano passado, gerando para a empresa um lucro de US$ 22 bilhões. Os Macs tem market share dos consumidores norte-americanos de 20,7%, e eles contam hoje com mais de 600 mil desenvolvedores cadastrados em seu programa de desenvolvimento de aplicativos.

Cook fala também da parceria com a Valve, que permite agora trazer títulos para os PCs e para os Macs de forma igual, como o Half Life. Além desse suporte para a parte de jogos, também estará disponível o AutoCAD para Mac. Ele deixa claro que isso só foi possível graças aos usuários. As lojas receberam mais de 75 milhões de visitantes em 2009, e eles venderam mais de 2,8 milhões de Macs no período.

Jobs volta ao palco para falar dos novos produtos. Começa falando da nova versão do iLife

Jobs anuncia o iLife 11. A primeira novidade é o iPhoto, que agora conta com o modo de tela completa, e com melhorias para publicação agilizada de imagens para o Facebook. Phil Schiller, vice presidente sênior da Apple, sobe ao palco, para demonstrar um modo onde você pode identificar onde uma determinada foto foi tirada ao redor do mundo, onde o usuário pode passar o mouse por cima delas e ver quais são essas fotos.

O sistema também permite a atualização/compartilhamento de fotos via Flickr. De qualquer lugar do mundo, você pode compartilhar a foto que quiser, e qualquer pessoa poderá localizar geograficamente o ponto onde a foto foi tirada. Além disso, eles demonstraram um novo modo de envio de fotos, através do e-mail, podendo selecionar as fotos que você quiser, pelo próprio iPhoto, e o programa prepara sozinho o e-mail para ser publicado. Phil faz toda a sua demonstração (um tanto quanto sonolenta e redundante), e Jobs volta ao palco, para falar do iMovie.

A primeira melhoria a ser destacada é a parte de edição de áudio, que foi implementada. Eles resolveram se dedicar mais ao Final Cut Pro. Jobs chama ao palco Randy Ubillos, para falar melhor dessas mudanças. Agora, o usuário pode editar trechos de filmes, selecionando segmentos de áudio e vídeo e modificar seus parâmetros da forma como achar melhor. Adicionaram também efeitos de som para a parte de vídeo, além do recurso One Step, que é uma espécie de macro para se usar rapidamente, com poucos movimentos.

O usuário também terá previews em tempo real das modificações feitas no vídeo. Tudo dá-se a entender que o usuário poderá fazer mudanças bem complexas com poucos cliques. Além disso, o usuário poderá fazer trailers de seus filmes quase que instantaneamente, de forma bem simples, através de um preenchimento de formulário com os dados do trailer, e podendo modificar diversos aspectos do vídeo, como velocidade dos fotogramas, a música, entre outros. Tudo o que você vai precisar fazer é o “clique e arraste” no quadro correspondente à edição.

Além disso, agora há no iMovie o sistema de reconhecimento de faces, também presente no iPhoto.

Agora, o Garageband. A nova versão conta com novas funções desenvolvidas para melhorar a sincronização de suas criações musicais, como, por exemplo, mais efeitos, novas lições de piano e guitarra, entre outros. Xander Soren sobe ao palco para falar mais dessas novidades.

Na demonstração, Soren abre uma música qualquer, e propõe que você tem um grupo de amigos que se reúnem para tocar, mas necessitam de alguma ajuda para isso. O principal problema é coordenar o grupo todo, para que cada instrumento não siga o seu ritmo ao léu, cruzando o ritmo o tempo todo. Graças ao Garageband, não é mais necessário que o músico melhore suas aptidões musicais, pois o software fara isso pelo usuário. O novo Garageband conta com correção automática de ritmo, além de diversas melhorias e recursos para que os resultados das canções sejam os melhores.

Há diversas novas aulas musicais, para aqueles que querem tocar a sério possam melhorar suas técnicas ao piano e violão. O How Did I Play mostra como você pode (e deve) executar as músicas, como se fosse um “mini Rock Band”. O novo iLife já está disponível a partir de agora, para todos os usuários que comprarem novas máquinas Mac a partir de hoje, e para os usuários antigos, a atualização vai custar US$ 49.

Jobs fala do Facetime, dizendo que eles conseguiram colocar no mercado mais de 19 milhões de dispositivos com este recurso, porém, os usuários Apple solicitavam a integração deste recurso com os Macs. Então, Jobs testa com Phil Schiller a primeira demo do recurso (ainda em versão beta) para os Macs. O beta está disponível para download pelos usuários hoje mesmo. O teste foi feito com Jobs falando de um Mac, e Schiller falando de um iPhone 4.

Agora, vamos falar do novo OS X, com um novo felino fazendo parte da fauna da Apple: depois de Cheetah, Puma, Jaguar, Panther, Tiger, Leopard, Snow Leopard, agora temos o Lion.

A filosofia do lançamento do Lion é que a Apple volte às origens no conceito do Mac (por isso, Back to the Mac), além de propor uma maior integração entre Macs, iPhones e iPads.

Recursos como abertura de aplicativos em tela cheia, pré visualizações e salvamento automático das mudanças nos documentos foram implementados. Agora, é possível que o MacBook Pro responda aos toques na tela, além de recursos adicionais ao trackpad do portátil.

Eles adicionaram o mesmo modelo de App Store do iPad para o Mac, que agora tem um aplicativo independente, lembrando um pouco a forma de funcionar do iTunes. Também foi simplificada a instalação de novos aplicativos no sistema. Também fala de um novo recurso para criação de pastas, que é exatamente igual ao que é utilizado no iOS, além de contar também com recursos para abertura de aplicativos na tela completa, tal como o iPad, com controle de gestos multitouch para se mover entre um conteúdo e outro. Também é possível acessar a Dashboard do sistema através de gestos diante da mesma.

O Lion chega ao mercado no verão de 2011 (no hemisfério norte, ou seja, meio do ano que vem). Agora, falando da nova App Store, que vai ser inaugurada dentro de 90 dias.

One More Thing: um Mac encontra um iPad. Qual será o resultado disso? Simples: um notebook com boot automático, maior autonomia de bateria, armazenamento em SSD, peso menor, mais fino… um novo MacBook Air.

Jobs apresenta um portátil, com dois tamanhos de tela: de 11 e de 13,3 polegadas com tela LED com retro iluminação, processador Core 2 Duo, gráficos NVIDIA GeForce 320m, trackpad multitouch, 0,68″ de espessura, todo ele em chassi Unibody, câmera com FaceTime, sem HD (usando memória SSD), sem unidade óptica, com boot instantâneo, pelo menos 2 vezes mais rápida que os outros Macs, com componentes 90% menores e mais leves. Sua bateria tem autonomia de uso de até 7 horas de uso com internet via WiFi, e 30 dias em standby.

Preço inicial do modelo de 11″ de US$ 999. Os dois modelos estão disponíveis para compra a partir de hoje. Abaixo, tabela de preços:

E isso foi tudo. Nas próximas horas, traremos aqui no blog mais detalhes dos produtos anunciados hoje pela Apple.

Fonte