foxconn-executivo

 

Um executivo da Foxconn, empresa que fabrica os smartphones para a Apple, pode pegar até dez anos de prisão, depois de ser acusação de roubar 5.700 iPhones da empresa.

O destino dos dispositivos era a venda ilegal. O ladrão teria embolsado pelo menos US$ 1.5 milhão com os dispositivos.

O acusado é um taiwanês de codinome Tsai, que se encarregava de dirigir o departamento de testes da fábrica, e forçou oito dos seus subordinados a remover unidades do iPhone 5 e iPhone 5s da fábrica da Foxconn em Shenzen (China) entre os anos de 2013 e 2014.

Parece que os dispositivos roubados não estavam fabricados para testes e não para vendas, o que pode explicar o fato dele ter levado aos poucos tantos telefones sem chamar a atenção de ninguém.

A operação foi revelada depois de uma auditoria interna realizada pela empresa, que resultou na prisão de Tsai. Agora, o executivo enfrenta um julgamento cuja condenação ele tem poucas chances de evitar.

Parece que a Foxconn tem mais e mais dificuldades em garantir o nível de confiança esperado. porém, não podemos esquecer que falamos de uma empresa com mais de 1 milhão de funcionáros na China.

Em média, 300 mil pessoas trabalhavam exclusivamente na produção do iPhone 5s, resultando em 500 mil unidades por dia.

Logo, roubar 5.700 iPhones ao longo de 2 anos pode parecer algo insignificante para quem lida com tal escala de números.

 

Via Business InsiderAsiaOne