call-of-duty-noriega

Virou moda processar os jogos de videogame e suas produtoras (infelizmente). Depois de Lindsay Lohan processar a Rockstar por conta do GTA V, é a vez do ex-ditador Manuel Antonio Noriega mover uma ação contra a Activision, por sua “aparição” como vilão do jogo Call of Duty Black Ops II, de 2012. Detalhe: Noriega faz isso da cadeia.

Diferente de Lohan, cuja denúncia se baseia em um personagem com várias semelhanças com o seu “estilo de vida”, Noriega é claramente retratado no jogo, com o seu nome e sobrenome exibido no papel de um vilão em uma das missões. O ex-militar pede uma compensação financeira pelo uso de sua imagem sem prévia autorização, além dos danos morais pela exposição pública negativa. Noriega é apresentado no jogo como um “sequestrador, assassino e inimigo do estado”.

Vale lembrar que, depois de passar por prisões nos Estados Unidos e França, Noriega está nesse momento preso no Panamá, onde cumpre pena por vários casos de assassinato e sequestros. Ou seja, Call of Duty Black Ops II não está contando nenhuma mentira ou distorção. E sim, Noriega deve ser considerado inimigo de qualquer estado.

Seus advogados agora tentam uma conversão de pena para cárcere privado, por conta de sua avançada idade (80 anos).

 

Via The Independent