O smartphone Motorola Atrix também está entre nós. O super smartphone (ou, como a própria Motorola afirma, “o smartphone mais poderoso do mundo”) se apresenta como um produto com múltiplas funcionalidades, que cumpre o que promete, e com uma performance que oferece muito mais que um simples entretenimento ou gerenciamento pessoal de contatos e agenda do usuário.

Pouco pude ter contato com o aparelho (já que o responsável pela demonstração dificultava um pouco as coisas, mas poderemos ver ele melhor no vídeo que vai ao ar no final dessa semana no blog), mas pelo pouco que pude ver, o Atrix é bem construído, combinando bem as partes plásticas das metálicas.

O Atrix apresentado hoje estava rodando o Android 2.2 (Froyo), mas segundo os executivos da empresa, a atualização para o Android 2.3 (Gingerbread) vai acontecer “em breve”. Eles não quiseram confirmar datas, para não cometer erros do passado. Ele possui uma aparência renovada, com traços mais suaves, mais agradável de se ver.

O aparelho está realmente muito rápido, com excelente transição nas suas telas de aplicativos, e uma boa velocidade na execução dos aplicativos instalados. Muito disso se explica pelo seu poder de hardware: processador de 1 GHz, 1 GB de RAM, tela qHD e 16 GB de memória interna (expansível para até 48 GB, com os 32 GB adicionais via microSD – adquirida separadamente).

Quando conectado ao car dock, o Atrix possui uma aparência ajustada para quem precisa acionar comandos rápidos no celular enquanto está no trânsito, com recursos especiais para GPS assistido. Também é possível adicionar widgets para que o usuário acione o aplicativo com um simples toque na tela, em uma interface simplificada, com botões maiores, facilitando o uso.

Foto da parte traseira do aparelho.

Foto que dá uma ideia da espessura do telefone (você verá melhor isso no vídeo que vamos preparar).

Um dos objetos de desejo dos presentes era o laptop dock (ou lapdock) que é compatível com o Atrix. O produto pesa aproximadamente 1.1 kg, e é uma interessante opção para quem quer ter um notebook que trabalhe de forma combinada com os sistemas Android e Linux. O smartphone gerencia as funções e comandos da interface exibida na tela, oferecendo ao usuário as opções mais básicas para que ele possa utilizar o produto na internet sem maiores problemas.

Suas teclas são levemente curvadas, e seu touchpad é bem amplo. Isso facilita para aqueles que querem usar o lapdock como ferramenta de trabalho.

Na parte inferior, ele possui um indicador de nível de bateria (apesar de achar isso estranho, uma vez que, teoricamente, a sua interface deve ter algum indicador de bateria presente).

A interface do produto é bem agradável. Pelas demonstrações apresentadas (e pelo pouco que consegui brincar com ele), ele parece ser bem ágil e objetivo na sua proposta de trabalhar como um sistema de leitura de arquivos e conexão na web. Muita gente vai gostar dessa proposta justamente por ser uma proposta que conta com o sistema Linux, e essa pode ser uma excelente plataforma de propaganda positiva do sistema operacional.

Foto lateral do laptop dock, com o Atrix conectado.

O lapdock possui, pelo menos, duas portas USB, para conexão de mouse e outros periféricos, como pendrives e HDs externos. O sistema também possui um recurso de virtualização, que permite ao usuário acessar, de forma remota, um computador com sistema Windows. Apesar de considerar isso útil, posso dizer que quem utilizar o laptop dock vai preferir ele com a interface do jeito que está, que está muito simples, intuitiva, prática e elegante.

Por fim, o HD Multimedia Dock, que reforça o conceito que o Atrix foi feito para ser poderoso, principalmente no entretenimento. Com ele, você pode ter um excelente dispositivo de player multimídia, que pode executar arquivos de áudio e vídeo armazenados no telefone ou em um dispositivo externo (pendrives e HDs externos), sempre contando com a ajuda do Atrix para coordenar tudo isso.

E se prepare para ter mais cabos atrás de sua televisão… mas, é por uma causa justa. Nas demonstrações que vi durante o evento (uma delas está no vídeo que vai ao ar no fim de semana), o aparelho foi muito bem na tarefa de reproduzir vídeos em alta definição (no formato mp4). Fica difícil dizer se ele é tão eficiente quanto se promete na hora de reproduzir arquivos em outros formatos que exigem mais do hardware, como o AVI. Mas esperamos que, nos primeiros reviews, essa dúvida seja sanada por completo.

O Motorola Atrix chega ao mercado brasileiro nos próximos 15 dias, nas principais operadoras de telefonia móvel no Brasil. O seu preço, sem vínculos com operadoras, é de R$ 1.999,00, e dá direito ao HD Multimedia Dock.