A Ford Brasil convidou o blog TargetHD.net para o evento de lançamento oficial no Brasil do novo Ford Fusion 2.5 Flex 2013, o novo sedã de luxo da montadora. Nesse post, vou passar as minhas impressões com o quesito que mais está alinhado com os propósitos do blog, ou seja, tecnologia. Além disso, vou relatar minha experiência do veículo em relação à sua performance, e como a tecnologia embarcada do carro pode ser revertida em uma confortável experiência de uso para o motorista e os passageiros.

O evento aconteceu em Jurerê Internacional, próximo à cidade de Florianópolis (SC). Já no saguão de entrada do hotel, tivemos o primeiro contato com o veículo, e o seu primeiro contato visual é algo realmente algo diferente. Apesar de ser um carro de luxo, ou um carro “top”, ele tem linhas muito bonitas e até mesmo agressivas. O próprio pessoal da Ford afirma que o modelo combina elementos de um sedã tradicional com um carro esportivo, tanto nas suas características externas (principalmente na parte frontal, que lembra um carro da NASCAR) quanto nos elementos internos (posicionamento e formato do volante, principalmente).

Repare na parte frontal do veículo, como ele lembra um modelo esportivo no seu aspecto geral.

Vendo o carro mais de perto e de perfil, observe no formato dos faróis e do capô. Esses são os elementos que mais remetem a esportividade do Ford Fusion 2.5 Flex 2013. Porém, não se engane: é um carro de comportamento suave, com tocada macia e elegante.

Durante a coletiva de apresentação do novo modelo, a Ford anunciou que pelo menos três versões do carro estarão disponíveis para o consumidor: a Flex, que oferece um equilíbrio entre performance e consumo, e é o mais acessível dos três carros; a EcoBoost, que oferece uma maior performance com uma melhor eficiência de consumo de combustível; e a Hybrid, que é a versão que combina todos esses aspectos técnicos, oferecendo economia e performance com equilíbrio entre as duas características.

Inicialmente, as versões Flex e EcoBoost chegarão ao mercado brasileiro primeiro, com um preço inicial de R$ 92.990, (caso o comprador opte pelo teto solar, terá que pagar mais R$ 4 mil). A versão Hybrid, a mais completa por contar com um motor elétrico, será lançado até o final do primeiro semestre de 2013, e tem preço sugerido de R$ 113 mil. Estamos falando de preço, mas vamos ver a partir de agora o fator “vale o quanto custa”.

Para começar, são sete opções de cores, para atender as necessidades de usuários de todos os gostos e perfis de uso. E as variedades de cores só destacam o quanto o novo modelo da Ford é bonito em diferentes roupagens.

O test drive foi feito por aproximadamente 60 km, com um ponto de parada de troca de motorista. Tal como nos últimos test drives que participei com a Ford, me foquei em testar as tecnologias embarcadas no veículo, que oferecem não só um desempenho melhor para o carro, mas entregam uma experiência de uso diferenciada, no estilo “premium”, combinado com um conforto que é procurado por usuários que adquirem veículos desse porte.

Começamos pelo interior do carro. Como destaquei antes, o volante do novo Ford Fusion 2.5 Flex 2013 é bem esportivo, com um volante com os principais botões de controle do seu sistema de navegação integrada, além de um painel com poucas cores (predominando o vermelho e o azul) para facilitar a identificação visual. O motorista não precisa tirar as mãos do volante para nenhuma ação se assim quiser, já que é possível deixar a troca de marchas do veículo em automático, além de utilizar os comandos de voz para acionar os comandos do navegador central.

E quando digo automático, é automático mesmo. Ele segue o padrão que já é comum nos mercados europeu e norte-americano, onde todas as trocas são feitas automaticamente pelo sistema inteligente desenvolvido pela Ford.

Outro detalhe importante do novo Fusion é a sua direção elétrica. Durante a apresentação do carro, os profissionais da Ford afirmaram que é de hábito do brasileiro precisar “sentir” o carro para ter uma boa direção. Em outros mercados (como o europeu, por exemplo), a necessidade do motorista é que o carro seja o mais suave possível, pois o ato de dirigir precisa ser algo muito confortável e seguro. Essa é a proposta da montadora com esse novo Fusion: uma direção macia e suave, fazendo com que o motorista praticamente não sinta o carro.

O test drive começou, e logo comecei a explorar o Sync System do Fusion 2.5 Flex 2013. O sistema é dividido em quatro telas principais: entretenimento (áudio e vídeo) em vermelho, informações e configurações do carro em azul, informações de destino e rotas, em verde, e conectividade com o seu smartphone (iOS e Android), em vermelho. Todas elas podem ser acessadas com um simples toque na tela que você vê na foto acima. E observe que, com o decorrer do teste, essa tela vai ficar cheia de marcas de dedos. Peço desculpas desde já por isso.

O mapa mostra a rota a ser percorrida, dando indicações das ruas e do trajeto a ser percorrido. Observamos que o mapa não mostra a sua trajetória do modo como vemos os mapas nos dispositivos móveis, que normalmente se orientam na perspectiva do usuário na primeira pessoa (de frente para o trajeto a ser percorrido). No caso do mapa adotado pela Ford, o GPS indica onde o veículo está em uma perspectiva superior, com sua seta indicando a frente do carro. Mesmo assim, ele ainda é bem funcional para as necessidades aplicadas.

Visão do painel interno do veículo durante o test drive realizado em Florianópolis.

Visão geral do painel frontal do novo Ford Fusion. Muitos desses recursos estão integrados no volante, mas estão disponíveis aqui para utilização do passageiro. Observe que temos o mínimo de botões e recursos oferecidos, uma vez que a maior parte dos comandos podem ser feitas pelo Sync System, sem a intervenção de toques, apenas utilizando os comandos de voz do motorista.

A segunda tecnologia de destaque do novo Fusion é a de ajustes de configurações internas do veículo. Com poucos toques na tela, é possível fazer ajustes como temperatura individual, temperatura dos demais passageiros, temperatura do carro e do motor, entre outros ajustes.

Todas essas informações ficam dispostas para o motorista ou passageiro de forma simples e direta. Observe que quando a tela de configuração está ativa, a sua aba (em azul) fica em evidência, mas sem impedir que outras áreas de configuração sejam acionadas.

Decidimos então testar os comandos de voz para buscas de endereços. Utilizamos uma situação bem simples, que era a busca de endereços das salas de cinema mais próximas na nossa região. O motorista (no nosso caso, o Renê Fraga) acionou um botão no volante (bem posicionado, evitando assim a retirada das mãos no volante), e a partir daí, o assistente começou a atuar, interagindo por voz com o motorista, dispensando a necessidade de olhar para o painel. Caso o motorista saiba de cor qual é a sala ou o endereço de destino, o sistema identifica tudo e já traça a rota para chegar ao local. Se não for o caso, o passageiro do banco da frente pode selecionar um dos resultados listados para criar a rota.

O recurso também é funcional para funções relacionadas ao smartphone, ou outros ajustes diversos do carro.

Os controles ativos na tela também ficam dispostos para o motorista no seu painel, facilitando o campo de visão do mesmo, evitando assim que ele tire os olhos da estrada. A seguir um pouco da experiência de interação com os recursos de telefone.

O novo Ford Fusion 2.5 Flex 2013 é compatível com smartphones com os sistemas iOS e Android. O pareamento ainda é feito via Bluetooth, e permite a interação com o veículo em diferentes níveis. Usuários do iPhone poderão se conectar ao carro para reproduzir suas músicas salvas no dispositivo, além de realizar e receber ligações de modo sem fio, utilizando o viva-voz do veículo. Já os smartphones Android contam com recursos mais avançados, como interação com mensagens e algumas configurações adicionais. Isso acontece pelo fato da plataforma do Google ser mais aberta do que a da Apple.

Nos nossos testes, conseguimos parear dois iPhones e um Galaxy Nexus sem maiores problemas. A interação com os recursos disponíveis (reprodução multimídia e chamadas telefônicas) foi feita de forma perfeita. O som reproduziu no carro sem interrupções com alta qualidade de som, e as chamadas telefônicas em viva-voz foram realizadas com alta qualidade sonora. Para quem está nos assentos da frente (motorista e passageiro), o interlocutor do outro lado da linha vai ouvir de forma clara o que eles estão falando. Quem fica no assento traseiro será ouvido com maior dificuldade, e isso é até natural, levando em conta as circunstâncias. Mas pode ser ouvido sem problemas.

Conectores para cabos RCA e portas USB estão estrategicamente posicionados para que você possa conectar diversos tipos de dispositivos, para reprodução de conteúdos e recarga de bateria de gadgets.

Por fim, os recursos de entretenimento do novo Ford Fusion. A tela lembra mesmo o painel de um player automotivo, mostrando todas as opções disponíveis entre rádio FM, rádio AM, smartphone (via Bluetooth), CD e USB. Independente da mídia escolhida pelo usuário, a integração (e interação) é plena, com uma simples navegação entre os recursos de seleção de estações, faixas e modo de reprodução.

Testamos a parte de entretenimento com os smartphones conectados, e com as rádios FM disponíveis na região de Florianópolis. No caso das rádios, não há muito a acrescentar, a não ser a  ótima recepção apresentada. No caso dos smartphones, a parte mais interessante é que o sistema não interfere na operação do player do dispositivo, e isso vale tanto para o Android quanto para o iOS. Experiência impecável nesse aspecto.

Por fim, um dos recursos mais legais do novo Ford Fusion 2.5 Flex 2013: o sistema de verificação de manobras. Além do veículo auxiliar em alguns movimentos e manobras simples, ele pode assistir ao usuário na hora de estacionar o carro e manobrar com a ré do veículo. Tudo isso é possível graças a uma câmera instalada na parte de trás do veículo, que diferente do retrovisor traseiro (que fica na parte superior do painel), oferece uma perspectiva exata daquilo que está acontecendo atrás do carro.

É claro que testamos isso (repare como a nossa tela já está cheia de marcas de dedo, como eu disse lá atrás), e o resultado não só foi muito bem sucedido como divertido. Como você já pode notar, a faixa verde indica uma área segura para o carro avançar com a ré. A área amarela é uma área de atenção, e a área vermelha determina o limite mais próximo de qualquer objeto que fica atrás do carro, e não falo apenas de veículos. Pedestres que passaram por trás do nosso carro foram identificados, e o sistema detectou automaticamente, emitindo sinais sonoros que alertam o motorista que algum elemento material está próximo à traseira do veículo.

O divertido é que, conforme o objeto se aproxima da traseira do carro, o sinal sonoro apita com maior frequência, como se fosse um medidor de batimentos cardíacos. Em nosso teste, a pessoa se aproximou demais da traseira do Fusion, e o sinal de alerta registrou um “traço”, como se a pessoa tivesse morrido. Felizmente, ninguém se machucou durante esse e outros testes.

Um último detalhe que considero importante nesses testes. Alguns recursos inteligentes ficam desativados quando o carro está em movimento, para a própria segurança do motorista. Um deles é o pareamento de dispositivos via Bluetooth. Ele só pode ser acionado com o carro parado. Muitos podem achar que o passageiro poderia muito bem fazer esse pareamento sem a ajuda do motorista, mas se levarmos em conta que o motorista poderia precisar da tela para manusear o mapa, e não pode tirar as mãos do volante, a medida pode ser considerada providencial.

Ah, e sobre o carro? Ok: o carro é fantástico!

Eu mesmo entendo que o carro não é para todos, muito menos para mim. É um carro top de linha, e com preço elevado para a maioria dos brasileiros. Mas ele vale o quanto custa: design bonito, confortável, muito gostoso de se dirigir (na minha condição de passageiro, e questionando os motoristas do meu carro, pude constatar isso), muito estável (você sente menos as imperfeições da estrada graças aos recursos de suspensão), e com uma grande quantidade de tecnologias e recursos já adicionados no veículo de série, sem ser itens opcionais.

A grande sacada do novo Ford Fusion 2013 é oferecer um carro de luxo, que na sua versão mais básica já é bem completo, e com um preço considerado competitivo em relação aos seus concorrentes na categoria. É o tipo de carro que se destaca pelo conjunto da obra, e não tanto por um ou outro item mais elevado. É um carro que oferece estilo, design, potência e tecnologia em equilíbrio. Como não sou um blogueiro que ganha R$ 80 mil por mês, não vou poder comprar ele, mas foi um prazer ser um dos primeiros brasileiros a conhecer o veículo de forma tão próxima.

Agradeço ao pessoal da Ford Brasil e sua assessoria de imprensa pelo convite. Abaixo, mais fotos do carro.



FORD FUSION 2.5 FLEX 2013
ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

Carroceria: Sedã
Motor: Ford Duratec 2.5 I4-VCT Flex
Número e disposição dos cilindros: 4 (quatro) em linha
Cilindrada: 2.5 (2.489 cm³)
Diâmetro dos cilindros: 89 mm
Curso dos êmbolos: 100 mm
Potência: 175/167 cv (@ 6.000 rpm)
Torque: 237/228 Nm (@ 4.500 rpm)
Rotação da marcha lenta: 700 rpm
Rotação máxima: 6.500 rpm
Relação de compressão: 9,7:1
Combustível: Etanol/ Gasolina
Tração: Dianteira

Transmissão
Automática: SelecShift, 6 à frente e 1 a ré, com opção de trocas na manopla do câmbio
Relação de marchas:
1ª: 4,58:1
2ª: 2,96:1
3ª: 1,91:1
4ª: 1,45:1
5ª: 1,00:1
6ª: 0,75:1
Ré: 2,94:1
Relação final: 3,07:1

Direção: Tipo pinhão e cremalheira com assistência elétrica (EPAS)
Freios: A disco nas quatro rodas e ABS equipado com EBD e EBA
De estacionamento: Elétrico por botão no console

Suspensão
Dianteira: Independente tipo McPherson com barra estabilizadora
Traseira: Independente ControLink com barra estabilizadora

Pneus: P225/50 R17
Rodas: 17×7,5″, de liga leve

Capacidades (kg)
Peso em ordem de marcha: 1.572
PBT: 1.958
Capacidade de carga: 386
Tanque de combustível (L): 62,43
Porta-malas (L): 514

Dimensões externas (mm)
Comprimento: 4.871
Largura com espelhos: 2.121
Espelhos dobrados: 1.911
Altura em ordem de marcha: 1.484
Entre-eixos: 2.850
Balanço traseiro: 1.087

Dimensões internas (mm)
Espaço para:
Cabeça dianteiro: 996
Cabeça traseiro: 960
Pernas dianteiro: 1.125
Pernas traseiro: 973
Ombros dianteiro: 1.468
Ombros traseiro: 1.445
Quadril dianteiro: 1.397
Quadril traseiro: 1.382