google-tablet

A Comissão Federal de Comércio (FCT) e o Departamento de Justiça dos Estados Unidos iniciaram uma investigação anti-monopólio contra o Google, por conta do seu sistema operacional, o Android.

Os reguladores norte-americanos tomaram a decisão depois de se reunirem com os rivais tecnológicos da Google, que expuseram suas reclamações sobre as limitações impostas pela gigante de buscas em seus serviços, priorizando o Android e prejudicando os demais sistemas.

Com esse movimento, os EUA seguem os passos da União Europeia, que também investiga a Google pelo abuso de posição dominante, por sua política de privacidade e por violar o direito ao esquecimento. Some tudo isso ao processo movido pela Oracle, Microsoft e Nokia pelo abuso de posição dominante através do Android, e vemos que a fase não é nada fácil para a gigante de Mountain View.

 

Essa investigação tem realmente sentido?

Nos EUA, o Android tem apenas 50% de cota de mercado, o que indica que, diferente de outros países, por lá, o cenário dos sistemas operacionais móveis é bem aberto, e há concorrência para todos. Ou seja, não existe um “monopólio” como alegam a concorrência.

Pese o fato de não haver um domínio explícito do Google, ela ainda pode ser sancionada por conta dos obstáculos impostos aos outros sistemas operacionais, para que os mesmos possam utilizar alguns dos seus serviços com facilidade.

Via Bloomberg