A próxima expressão que será muito falada entre os usuários de notebooks ao redor do mundo será a “hipertermia escrotal”, que pode ser uma grande ameaça à perpetuação dos geeks e nerds ao redor do mundo. Na verdade, o risco (mesmo que seja mínimo) de que seu armazenador de espermatozoides se aqueçam bem mais do que o necessário acompanha os usuários de notebooks desde o seu início, e segundo mostra um estudo médico feito pela Fertility and Sterility, nos Estados Unidos, há pouco o que se pode fazer contra isso.

O estudo foi feito com pessoas que foram expostas a três sessões de trabalho de 60 minutos, em posturas diferentes. A conclusão que se chegou é que para aqueles que sustentam o portátil sobre as pernas corre o risco de ter a temperatura do seu saco escrotal aumentando em até 1ºC em apenas 11 minutos, e o que é pior: quem fez os testes nem se preocupou que a temperatura superava os limites de segurança. Fora que, as pequenas almofadas que existem no mercado não resolvem muito o problema, sobrando duas soluções: ou o usuário reduz o período que fica com o notebook no colo, ou coloca o portátil em uma mesa. Bom, tem a terceira: tenha uma almofada com prancha de madeira, como a que eu ganhei no Nokia Ovi Expedition.

Fonte