600x338xgtyhumanbrainjp110921wg.jpg.pagespeed.ic.DAIlgIbJhY

Os videogames, tantas vezes criticados por nossos pais e avós por serem considerados uma grande perda de tempo, agora pode ser visto finalmente como algo positivo para a terceira idade que, pelo menos na teoria, não é o seu público-alvo. Uma equipe de pesquisadores da Universidade da Califórnia desenvolveu um estudo de quatro anos, e descobriram que idosos que jogam videogames podem “rejuvenescer” a mente, recuperando algumas de suas habilidades mentais e motoras.

O estudo aprofundado submeteu um grupo de idosos entre 60 e 85 anos a um teste, onde os mesmos tinham que jogar um game especialmente desenvolvido para o estudo. Os resultados obtidos foram simplesmente surpreendentes: o cérebro de alguns dos velhinhos começaram a desenvolver algumas habilidades que eles tinham na faixa dos 20 anos de idade (curiosamente, parte do público-alvo do mercado de games). Em outras palavras, o videogame conseguiu rejuvenescer a atividade cerebral desses idosos.

Os pesquisadores também utilizaram eletroencefalogramas para medir a atividade cerebral dos mais velhos, e descobriram que, enquanto eles jogavam, uma onda do cérebro relacionada com a atividade, localizada na parte frontal do cérebro, era semelhante a de um jovem entretido com a ação do jogo na tela.

O experimento pode ajudar os cientista a conhecer quais são as áreas do cérebro que podem ser treinadas, para que o mesmo não sofra tanto com o passar dos anos, e dessa forma, as funções mais básicas da memória do ser humano na terceira idade possam ser realizadas sem maiores problemas.

Resumindo: pode sair da frente do Xbox 360 agora, pois é a vez do seu avô jogar Forza Horizon!

 

Via nytimes.com