650_1000_samsung-galaxy-note-3

O gosto pelos smartphones com telas cadavez maiores fez com que a categoria dos phablets (ou tabletphones), ou smartphones com telas de 5.5 polegadas ou mais, fique cada vez mais popular. Poderíamos pensar que esses usuários aproveitam os seus dispositivos da mesma forma que os smartphones, mas não é bem assim.

Um estudo realizado pela Opera Mediaworks revela que a atividade nos tablets possui um componente essencialmente social, enquanto que nos smartphones convencionais esse tipo de atividade é muito inferior, com um uso centrado em outras tarefas.

O relatório revela que 54% da atividade em tablets está dedicada aos aplicativos relacionados com as redes sociais, algo que também acontece nos smartphones, mas não com essa profusão. De fato, os smartphones são utilizados de forma mais versátil, e seus usuários se concentram mais em atividades como leitura de notícias, monitorização de atividades físicas e reprodução multimídia.

phablet-phone-tablet-media-consumption-by-category-opera-mediaworks_03

O mais curioso é que o estudo mostra que os jogos não são o destaque no uso em smartphones – o que pode até levantar dúvidas sobre a validez do estudo – um segmento onde o uso nos tablets é algo intenso. O estudo identificou 13 dispositivos com telas entre 5 e 7 polegadas, e analisou o tráfego que seria monitorado pela plataforma publicitária da empresa.

As conclusões parecem apontar para um cenário de crescente substituição do tablet de 7 polegadas pelo phablet, já que a atividade social estava em franco crescimento nos últimos anos. Segundo os últimos dados, dos 980 milhões de smartphones vendidos em 2013, apenas 20 milhões eram phablets. Pode parecer um número baixo, mas a estimativa da Opera Mediaworks é que esse número cresça para 120 milhões em 2018.