650_1000_new_downloadbanner1

Um estudo publicado na PNAS dos EUA indica que a leitura em um e-reader ou tablet pode fazer com que o mecanismo natural ou habitual para iniciar o sono das pessoas se altere de forma significativa.

Um grupo de 12 voluntários em ambiente muito controlado passaram por testes, e o estudo afirma que ler antes de dormir utilizando uma tela ativa (que emite luz, como é o caso dos tablets e smartphones) altera o ritmo biológico, e pode provocar um atraso na conciliação do sono, deixando o usuário mais ativo, menos cansado e, por consequência, obtendo um sono menos reparador.

A luz emitida pelos dispositivos eletrônicos reduziu o nível de melatonina no sangue dos voluntários, que usaram durante dias um gadget para ler antes de dormir. Porém, eles o fizeram durante quatro horas, o mesmo tempo que outro grupo controlado leu com livros em papel.

Esta alteração do ritmo biológico é associada à fonte intensa de luz, que também não é da temperatura adequada para o período noturno. No estudo, essa queda da melatonina indica um atraso de uma hora em relação à disposição natural do corpo na hora de dormir.

kb-slate-04-lg._v324779290_

Mas além do que o estudo aponta, o uso do leitor de tinta eletrônica como elemento de leitura por longas horas está sendo substituído pelos smartphones e tablets. No primeiro caso, o tamanho das telas já é quase o mesmo de um e-reader, quando pensamos no phablet. No caso dos tablets, ter um dispositivo multiuso que também serve para ler é, para muitos, uma grande tentação, ainda mais quando o seu peso e espessura se reduziram ao ponto de se tornarem cômodos para a leitura.

Outra coisa – bem diferente – é utilizar tablets e smartphones para leitura todos os dias. É difícil…

Via PNAS