Ciberataques

A lutra contra a ISIS continua, e os Estados Unidos reagem com o seu “Cyber Command”, lançando ataques contra o grupo terrorista que busca afetar elementos essenciais do mesmo, especialmente suas vias de comunicação, financeiras e de recrutamento.

Não é comum ver os órgãos de inteligência dos Estados Unidos confirmarem publicamente a realização desse tipo de ataque, mas existe uma razão para isso: eles esperam que, ao dar publicidade para as atividades da ISIS, que se questione a segurança de suas comunicações. Sobre os ataque cibernéticos, o objetivo é claro: bloquear, mesmo que temporariamente, as vias onde as quais o grupo terrorista consegue dinheiro e também desacelerar suas campanhas de recrutamento, de modo que a chegada de novos membros seja mais dilatada.

Pode ser um bom método para debilitar a ISIS, levando em conta que o governo dos Estados Unidos parece ter entrado com toda a força possível nessa empreitada. Segundo o sub-secretário de defesa, Robert Work, eles estão lançando “ciberbombas” contra a organização, algo que nunca foi feito antes por eles.

É uma campanha que se faz necessária. O Estado Islâmico encontrou na internet uma via importante tanto para o financiamento como para recrutamento e comunicação, e um golpe desse nível pode afetar de forma significativa suas atividades.

Via  The Verge