Essential Phone

O Essential Phone chega com um design imaculado, com uma tela ocupando a maior parte da área frontal, e bordas metálicas supostamente resistentes. Tudo é perfeitamente encapsulado, mas… o que acontece se temos que reparar um componente interno?

O iFixit desmontou uma unidade do Essential Phone para mostrar o quão difícil é chegar às entranhas do dispositivo. E o primeiro passo para abrir o telefone requer uma técnica rudimentar: congelar o dispositivo.

 

 

Com a ajuda de um spray frio, eles retiraram o adesivo que une o cristal ao chassi, pois o método de aquecer o dispositivo não funcionou. Depois de retirar metade do cristal (parcialmente quebrado), eles viram que a porta USB Type-C estava soldada à placa-mãe.

Para complicar ainda mais as coisas, mais adesivos foram encontrados, ao ponto de elementos que estavam em perfeito estado acabaram quebrados no processo de desmontagem.

O modelo é composto por uma placa de titânio e por um painel traseiro em cerâmica, e foi isso que exigiu o congelamento do smartphone para a sua abertura. A única coisa que é “fácil” nesse dispositivo é os parafusos regulares, fáceis de serem repostos.

 

No final das contas, o iFixit deu nota 1 em 10 para o índice de reparabilidade do Essential Phone, demonstrando que os designs minimalistas podem trazer enormes dificuldades de reparação no futuro.

 

Via iFixit