Donald Trump

Todo mundo se lembra quando o mundo foi um lugar melhor para se viver por 11 minutos, tempo em que a conta de Donald Trump no Twitter foi eliminada. Agora, vamos conhecer quem foi o herói do bom senso.

Bahtiyar Duysak, alemão, graduado na Universidade de Birmingham em 2015, trabalhou no Twitter até pouco tempo, e decidiu suspender a conta de Trump no microblog durante os seus últimos minutos como funcionário da rede social.

Ele trabalhava na área de atendimento ao cliente na divisão de segurança do Twitter, e seu time recebia os alertas de usuários sobre o mau comportamento de alguma outra conta na plataforma.

Assédio sexual, contas apócrifas, comentários inapropriados, difusão de material extremista e notícias faltas. Tudo o que Donald Trump faz no Twitter. E Duysak decidiu punir Trump por tudo isso.

No seu último dia de trabalho, poucos minutos antes de encerrar seu expediente derradeiro, ele recebeu uma denúncia de um usuário contra a conta de Trump. E como último adeus, ele suspendeu a conta do presidente dos EUA, e foi embora do prédio.

Hoje, ele vê como um erro. Mas alega que tomou a medida porque estava cansado. Não chegou a hackear a conta, ou algum procedimento que ele não estava autorizado a fazer.

Duysak afirma que jamais acreditou que o assunto ganhasse tanto peso, até porque o Twitter tinha bloqueado o seu sistema a possibilidade de eliminar a conta de Donald Trump. Logo, o gesto de suspender não deveria ser tão grave.

Desde então, ele viu seus amigos e familiares serem acusados pela imprensa, na tentativa de contactá-lo, o que o motivou a dar a sua versão dos fatos.

 

 

 

Via TechCrunch