yahoo-desperate

Segundo informa o diário britânico The Guardian, o Quartel General de Comunicações do Governo do Reino Unido (GCHQ) teria armazenado milhões de imagens capturadas pelas câmeras dos usuários do Yahoo. Posteriormente, estas imagens eram revisadas por um software de reconhecimento facial, para descobrir as pessoas de interesse do governo, associando os rostos com nomes de usuários armazenados em uma base de dados.

A informação foi revelada por ninguém menos que Edward Snowden para o jornal, que também revela que a GCHQ interceptou imagens de videoconferências do Yahoo de forma massiva, inclusive as conversas realizadas via Yahoo Messenger. O programa, batizado com o nome de código “Optic Nerve”, capturou em seis meses imagens de mais de 1.8 milhão de usuários do Yahoo em todo o planeta, cujas características foram cruzadas com os registros internos da GCHQ, em busca de possíveis objetivos.

Segundo Snowden, “infelizmente (…) parece que um número surpreendente pessoas usam as conversas por webcam para mostrar as partes íntimas do seu corpo para outra pessoa”, e tal informação estão nos documentos internos da GCHQ. O carnaval de perversão pela web era tão grande, que a agência introduziu uma série de medidas para proteger esses usuários na medida do possível de eventuais aparições de imagens explícitas.

Mais uma vez, a Yahoo (que a algum tempo anunciou que iria reforçar as medidas de segurança, para proteger os seus usuários), declarou que não tem conhecimento desse programa, enquanto que a GCHQ não comenta o assunto. Os dados internos publicados pelo The Guardian indicam que a Optic Nerve esteve em atividade durante o ano de 2008, mas sem informações mais recentes, e com as autoridades mantendo uma política de silêncio oficial, é impossível dizer se o projeto segue ativo.

Via The Guardian