A Multilaser está comemorando 25 anos de atividades em 2012, e como parte das ações promocionais, convidou jornalistas e blogueiros de tecnologia para conhecerem a sua fábrica em Extrema (MG). Aceitei o convite feito pela assessoria de imprensa da empresa, e durante toda uma tarde (no dia 25/04), pude conhecer um pouco mais sobre a empresa que oferece mais de 1.200 itens diferentes no mercado de tecnologia nacional.

A visita foi coordenada por Renato Feder, sócio-diretor da Multilaser, que apresentou em todo o processo de produção dos seus produtos, na sequência como eles são concebidos. Como o foco principal da empresa está na produção de componentes de informática e aparelhos eletrônicos, todo o tour se focou na produção de pendrives, celulares e tablets, mas o processo não difere muito para os demais produtos desenvolvidos por eles. A linha de produção começa na impressão e recorte das placas a serem utilizadas nos dispositivos.

Essas placas e outros componentes são importados (80% das peças chegam da China), e no caso dessas placas, elas chegam virgens ao Brasil, ou seja, sem nenhum tipo de chip com memória ou processador, que são inseridos na placa em um estágio posterior. Cada placa possui o seu circuito impresso através de um molde específico para cada produto, permitindo a impressão de várias placas por vez, em uma tiragem que pode chegar a milhares de unidades por dia (no caso dos pendrives). Depois dos circuitos impressos, os chips são inseridos na placa manualmente (se imaginava que esse seria um processo automatizado), pelo fato de ser um processo de alta precisão. Caso aconteça algum erro na inserção dessa placa, ou o chip inserido na placa apresenta algum defeito, essa placa pode ser reaproveitada.

A área de produção e montagem de produtos é ampla, e a empresa trabalha em dois turnos, com equipes diferentes. Segundo foi informado durante o tour, não há a necessidade de colocar a fábrica em funcionamento 24 horas por dia, e na ocasião da visita, a empresa já tinha cumprido a sua meta de produção do mês. A Multilaser só aumenta a sua produção no período do ano de maior volume de vendas, que é o último trimestre do ano. Quando isso acontece, a empresa passa a trabalhar 24 horas por dia, em três turnos, mas contratando novos funcionários para as vagas necessárias para essa produção. Desse modo, a empresa estimula a criação de vagas de trabalho, inserindo outras pessoas no mercado profissional.

Outro detalhe interessante está na política de incentivo de metas da Multilaser. As linhas de montagem são compostas por grupos de trabalho, onde cada membro do grupo realiza uma função específica para completar um determinado lote de produtos. Se a meta do dia for cumprida, há uma bonificação no salário de cada membro do grupo. Porém, se esse mesmo grupo está adiantado em sua meta de produção, pode assumir a montagem de outros produtos, para aumentar essa bonificação. Além disso, as linhas de produção respeitam uma organização previamente estabelecida, e cada equipe tem a sua meta de produção designada antes de cada turno. Se cumprem a meta, uma nova janela de produção começa, com um novo lote do mesmo produto, ou um produto diferente a ser montado.

Outro detalhe importante observado na fábrica da Multilaser: o predomínio das mulheres na linha de montagem dos produtos. Aqui, a explicação é muito simples e direta: a precisão das mãos femininas. Como estamos lidando com componentes muito pequenos, as mulheres naturalmente são mais cuidadosas para essa fase do processo. E, de fato, são vários componentes a serem inseridos entre os componentes, e mãos muito pesadas podem causar imprecisões e danos no resultado final do produto. Com essa medida, a Multilaser reduziu consideravelmente a porcentagem de problemas nos produtos, aumentando a capacidade de produção e a produtividade da empresa como um todo.

A qualidade dos produtos é algo que todo consumidor consciente procura antes de investir o seu dinheiro em um item. A Multilaser demonstrou que ao menos faz a sua parte para garantir que o produto chegue ao consumidor em condições de uso, através de uma equipe específica para testes dos produtos recém fabricados. Cada equipamento produzido é testado em todas as suas funções, com calma, para garantir que o mesmo vai chegar ao consumidor em pleno funcionamento. Cada funcionário é responsável pelo teste daquela unidade, adicionando um selo de certificação no produto, com a numeração do funcionário, que garante o perfeito funcionamento da unidade. Se um produto apresenta algum tipo de defeito para o consumidor, indo para a assistência técnica, a Multilaser pode detectar qual é o funcionário responsável pela revisão daquela unidade, tomando assim as providências necessárias para que o índice de problemas diminua cada vez mais.

Outra informação passada pela empresa é que a sua área de atendimento ao cliente é da própria Multilaser, não utilizando profissionais terceirizados nesse segmento da empresa. Para eles, passou a ser importante ter o controle total dessa área, pois acaba sendo mais eficiente para eles se envolverem de forma direta com os problemas do consumidor. Além disso, sua assistência técnica também é realizada diretamente na fábrica da Multilaser, não contando mais com agentes e técnicos terceirizados. O motivo foi o alto índice de insatisfação com o serviço realizado por boa parte dos técnicos terceirizados. Além disso, o envio direto para a fábrica agiliza o processo para a empresa e para o consumidor, uma vez que o cliente não paga o valor do frete do produto, e a empresa pode até mesmo trocar o produto em questão, caso os danos sejam irreversíveis.

Os setores de estoque e logística são igualmente importantes para a Multilaser. Antes de cada lote ser estocado, uma porcentagem de produtos já embalados passam por um teste final para saber se tudo está funcionando conforme o planejado. Essa porcentagem pode ser de até 10% (variando para menos), seguindo as regras de especificações internacionais. De cada série de produtos, aproximadamente 32 unidades são testadas. O lote é aprovado se esses 32 itens funcionarem perfeitamente. Caso uma unidade apresente falha, outras 32 peças passam por teste. Se duas ou mais unidades apresentam defeito, o lote inteiro volta para ser novamente avaliado.

A Multilaser se prepara para duas outras expansões na sua fábrica de Extrema. Essas ampliações tem como objetivo aumentar a capacidade de produção da empresa e, por consequência, o seu estoque, que é dividido em “ruas”, onde até dois funcionários são responsáveis pela organização das vagas de armazenamento disponíveis em cada rua. Mais uma vez, a explicação da escolha é simples: um número maior de pessoas envolvidas tornaria o processo mais complexo e confuso. De fato, o sistema do estoque só funciona com funcionários designados para cada área, onde cada um vai saber onde está um determinado item para ser retirado, e sua reposição também só pode ser feita por aquele que realmente sabe onde um item deve ser retirado do estoque.

Por fim, a Multilaser apresentou seus números. A empresa hoje tem como seus principais produtos (na ordem) os pendrives, os celulares e os acessórios de informática. Esses grupos de produtos são os principais responsáveis pelo crescimento da empresa, que começou como uma fabricante de cartuchos para impressoras, e se tornou a marca líder no segmento de acessórios de informática. A empresa está conquistando gradativamente os usuários de entrada, ou a nova classe média brasileira, oferecendo produtos com uma garantia maior do que os produtos de “mercados alternativos”, e soluções. interessantes para quem não pode adquirir um modelo “top”. Essa é a ideia da empresa: oferecer produtos com especificações técnicas interessantes, com preços competitivos.

Agradeço mais uma vez ao pessoal da assessoria de imprensa da Multilaser pelo convite.

Eduardo Moreira viajou para Extrema (MG) a convite da Multilaser.