Com o cenário mobile atual, de tempos em tempos, se faz necessário definir a ordem natural das coisas, para se manter uma coisa que considero muito importante, chamada foco. Sem isso, o mundo vira uma bagunça, você acaba chamando urubu de meu louro, e cai na invariável armadilha de realmente acreditar que um tablet pode substituir o seu notebook ou ultrabook em todas as suas funções corporativas. Não, amigo. Ainda não pode. Pelo menos, por enquanto.

Por mais que os tablets tenham ficado mais potentes e polivalentes, a regra continua sendo a mesma: os notebooks servem para trabalhar, e os tablets servem para entreter. Pelo menos por enquanto, a regra é essa.

Mesmo produtos como o ASUS Transformer, que conta com um dock em formato de teclado, ele foi pensado mais para a diversão do que para a produtividade. É claro que ele pode, no máximo, quebrar o galho, mas não vai ter o mesmo resultado que um notebook pode oferecer com um sistema operacional completo. Um exemplo: se eu preciso redigir um texto para o blog, eu até posso fazer isso com o iPad ou um tablet Android qualquer (ok, o Samsung Galaxy Tab, por exemplo). De cara, não ter um teclado físico é uma grande desvantagem. Em textos regulares, não posso me permitir a perder tempo corrigindo acentuações, e não contando com a mesma agilidade que as teclas físicas me oferecem.

Além disso, as soluções oferecidas para blogagem no WordPress pelo iOS e Android são incompletas. Quase amadorescas. São apenas pequenos quebra-galhos para você ter o mínimo para uma postagem muito rápida, quase instantânea. Não chega nem perto das ferramentas que podemos ter no Windows e no Mac OS. Além disso, para aqueles mais exigentes, que acabam comprando acessórios para tornar o seu uso mais próximo do ultrabook ou notebook (como um dock com teclado físico, por exemplo), a relação custo/benefício acaba não sendo vantajosa, e se você colocar tudo na ponta do lápis, em muitos casos, vale mais a pena comprar um notebook para realizar suas tarefas profissionais.

Outro bom exemplo disso é o uso de editores de texto. Apesar de contarmos com soluções razoavelmente interessantes para uma comunicação com os serviços na nuvem, que por sua vez podem gerenciar arquivos do Microsoft Office (eu uso o DocsToGo, para iOS e Android; paguei pelo uso dos dois, mas no meu caso, compensou), porém, tais soluções para os tablets não servem para quem precisa, por exemplo, criar um documento importante, fazer uma apresentação com riqueza de detalhes, e um melhor gerenciamento desses arquivos. Resumindo: o notebook é o seu melhor amigo nessas horas.

E isso porque eu ainda não citei os benefícios de você ter uma maior capacidade de processamento e memória dos notebooks, a robustez e gama de recursos que um sistema operacional completo pode oferecer, a maior área de tela para visualizar conteúdos (sim, pois um tablet tem, em média, uma tela que varia entre 7 e 10 polegadas), e outras vantagens técnicas que fazem com que qualquer pessoa com bom senso e conhecimento mediano logo conclua que, se você quer realmente uma maior produtividade e resultados mais profissionais, a solução é contar mesmo com um notebook, pelo menos.

Obviamente, toda regra tem sua exceção. Eu tenho um sobrinho que é DJ, que utiliza um notebook, um iPod Classic (para carregar suas músicas) e um iPad para fazer as mixagens. Designers gráficos, desenhistas, médicos, profissionais liberais, publicitários e outros segmentos profissionais específicos conseguem realizar tarefas que se convertem em dinheiro, extraindo do tablet excelentes resultados para suas tarefas. Mas essa não é uma regra para a maioria dos usuários, principalmente para aqueles que dependem de produtividade no computador.

Muitos acreditam que isso pode mudar com a chegada do Microsoft Surface, e os primeiros tablets com o sistema operacional Windows 8. Afinal de contas, esses modelos serão os primeiros a contar com um sistema operacional completo, e isso pode fazer uma grande diferença para os usuários profissionais de diferentes áreas. Já pensou? Você poder ter todos os benefícios do desktop que está na sua casa ou escritório, em um produto bem mais leve ou igualmente funcional? Particularmente, eu só acredito depois que o produto chegar ao mercado. Antes disso, ainda acho que as pessoas vão olhar com receio para o Surface na hora de decidir se vai mesmo utilizar o produto para trabalhar. Somente o feedback dos primeiros compradores vai dizer se o tablet da Microsoft poderá superar os demais, sendo uma solução completa para quem quer se divertir e trabalhar.

Acredito que, em um futuro não muito distante, os tablets vão melhorar em termos de recursos técnicos e aplicativos, tornando esses ótimos dispositivos cada vez mais próximos de nosso ambiente profissional. E desejo que isso aconteça. Toda solução tecnológica deve ter o seu incremento para ser útil para mais e mais pessoas. Enquanto isso, use o seu tablet para ver vídeos, ler livros, assistir filmes no Netflix, jogar Angry Birds e Cut The Rope. Não há mal nenhum nisso. Foi para isso que você comprou o seu tablet, não é mesmo?