applephone

Que um funcionário da Apple conceda uma entrevista, já é algo atípico por si. Se ele revelar as origens do iPhone, é algo ainda mais estranho. Dito isso, Greg Cristie explicou com riqueza de detalhes como foram os momentos de nascimento do smartphone que mudaria o mercado para sempre.

Greg deu uma entrevista para o Wall Street Journal, e revela que o projeto original do dispositivo foi batizado com o nome “Purple”, e Steve Jobs foi taxativo: a equipe tinha apenas duas semanas para planejar uma interface do equipamento. Caso contrário, o projeto seria designado para outro grupo.

“Steve tinha isso claro… queria ideias de maior apelo e propostas ambiciosas”, revela Greg. E foi assim, com um conceito final de produto “chamativamente pequeno”, ele desenvolveu uma tela touch com o “deslizar para bloquear”, sem um teclado físico e herdando os aspectos musicais do iPod. Em duas semanas.

Os primeiros testes aconteceram em uma tela táctil de plástico conectada ao Mac que você está vendo na foto acima. A partir desse ponto, Christie se viu obrigado a fazer apresentações para Jobs duas vezes ao mês, onde o executivo o dava caminho livre para algumas ideias, e ia descartando outras.

Conforme lembra o engenheiro, foi “uma maratona de dois anos e meio”, onde Jobs, obcecado com cada detalhe mínimo do produto, ia dando forma ao projeto. A pior parte do assunto é que o tempo que passou entre a apresentação do iPhone e a data que ele chegou ao mercado, as mudanças continuavam a acontecer, em um trabalho contra o tempo.

Leia a entrevista de Greg Christie na íntegra, clicando aqui (assinatura necessária).