dont-starve

O efeito placebo não é algo exclusivo dos medicamentos. Se estende para outros setores, o que é compreensível já que o mesmo é iminentemente sugestivo, e opera de formas diferentes de pessoa para pessoa. O mundo dos videogames é um claro exemplo disso, tal e como comprova um estudo da Universidade de Nova York.

Eles determinaram que o efeito placebo pode afetar aos gamers a ponto deles desfrutarem de macetes que não existem nos jogos. Os testes foram realizados com o jogo Don’t Starve, que cria mapas aleatórios a cada nova partida, tal como acontece com outros jogos, onde duas versões diferentes foram “oferecidas” aos jogadores.

A primeira contaria com a simples criação aleatória de mapas, enquanto que a segunda tinha uma inteligência artificial adaptada, que melhorava a experiência do jogador, adaptando-se à tudo o que ele fazia. Obviamente, nada disso está correto. Era o mesmo jogo. Mas isso não impediu que os gamers aproveitassem melhor a segunda versão, chegando inclusive a qualificá-la como “melhor e mais fácil”.

E isso deixa algo muito claro: a sugestão tem muito poder na mente humana.

Via NewScientis