Eu tenho um iPhone, um iPad e um Apple TV. E uma das melhores coisas que esse trio pode me oferecer é justamente a integração entre esses três produtos, principalmente com o Apple TV. Quem tem, sabe do que estou falando: o controle do Apple TV é a coisa mais porcaria/sem vergonha que a empresa de Cupertino fez na vida! Aquilo não é prático, torna as buscas de conteúdo algo insuportável, e a coisa mais fácil do mundo é você perder aquele pedaço de plástico e metal inútil. Logo, controlar o Apple TV pelo iPhone ou iPod é uma vitória.

Além desse pequeno detalhe, a integração desses produtos com o iCloud é ótima, além de “induzir” o consumidor a adquirir mais produtos da Apple Store (não é tanto o meu caso, uma vez que uso mais o Netflix e o YouTube no sistema), justamente pela praticidade de ter esse conteúdo adquirido em um dispositivo em todos os demais, de forma simples. Com esses argumentos, fica fácil para que qualquer usuário regular dos produtos da Apple considere de forma consistente a possibilidade de, no futuro, adquirir a TV da empresa.

Mas, observe no que eu acabei de dizer: “qualquer usuário regular dos produtos da Apple”. E os usuários marinheiros de primeira viagem, que entendem que “apple” é apenas “maçã” em inglês?

Uma das possibilidades especuladas do suposto novo produto é que a empresa de Cupertino exija que os usuários do iPhone ou iPad usem os seus dispositivos para controlar a sua futura TV. Sim, você não leu errado: “exija”. O objetivo da empresa nesse movimento é tornar a sua vida mais prática. Mas isso, eles consideram a SUA vida, caso você tenha um iPhone ou iPad em casa. E, por incrível que pareça (e você pode me chamar de louco nesse momento), eu acho essa hipótese uma péssima ideia.

Veja bem. Não que eu seja contrário ao recurso. Até porque eu controlo o meu Apple TV pelo iPhone (e talvez só por isso ainda mantenho o produto em casa). Mas, honestamente? Apesar de ficar o tempo todo próximo ao smartphone, não é todo mundo que vai ter tal dispositivo à mão o tempo todo. Além disso, estamos falando de um produto novo, que nos dias de hoje, é composto de TV e controle remoto. E pensando nos usuários inexperientes, o ideal é ter um produto dedicado a controlar a TV, dispensando o trabalho de ter que instalar um aplicativo específico para tal recurso.

O que a Apple poderia adotar nesse caso? Um controle com tela touchsceen. Uma espécie de “iPod Touch”, mas bem mais simples, e dedicado exclusivamente a controlar a nova TV. Convenhamos: com o preço que esse produto deve ter (preço “padrão Apple”), adicionar um item de hardware a mais no conjunto do produto não deve custar tão mais caro assim a ponto de tornar a compra ainda mais inviável, não é mesmo?

Além de facilitar a vida de quem não tem um iPhone ou iPad, a Apple ainda tem a chance de inovar. A imensa maioria dos controles de TV são grandes, feios e cheios de botões que só confundem no lugar de ajudar. Um controle touchscreen, no estilo do iPod Touch (ou um pouco maior) teria uma interface mais amigável, exibindo os comandos e recursos necessários para realizar as tarefas que você precisa naquele momento, um bom teclado virtual para buscas na web, entre outras possibilidades que tornariam a TV da Apple um produto diferenciado dos rivais. Bom, pelo menos você não tem que ficar apertando as teclas de seta 50 vezes até completar uma palavra na busca do Netflix.

Ok, não me incomodo de fazer tudo isso com o iPhone ou o iPad. Mas “fechar” o produto apenas para esse grupo é um retrocesso. Acredito que toda empresa de tecnologia (inclusive a Apple) quer expandir os seus negócios, e buscar um público novo, com um produto acessível para todas as idades. Assim como fizeram no ato dos lançamentos do iPhone e do iPad. É claro que é bom ter a opção de controlar a sua futura TV da Apple com os dispositivos que você já possui. Mas não pode ser a única escolha.

Mesmo porque, uma das coisas mais legais que você vai poder fazer é exibir o novo controle da sua nova TV para seus amigos, quando eles forem na sua casa assistir o futebol de domingo.