casas-virtuais-videogames

O fechamento da Maxis por parte da Electronic Arts foi um duro golpe para os fãs de games como SimCity ou The Sims, mas gerou um grande beneficiado: o jogo Cities: Skylines, que segue a mesma temática de construção da cidade ideal. Com isso, temos o fenômeno dos gamers que ganham a vida construindo casas para os jogos de videogames.

É o caso de Bryan Shannon, artista que através de uma campanha no Patreon, presta os seus serviços na hora de desenvolver todo o tipo de edifícios para que as cidades virtuais sejam mais espetaculares. Hoje, ele ganha a vida assim. Como modder.

Não faz muito tempo que os modders eram vistos como aqueles que dedicavam o seu tempo e esforço por amor à arte ao game. Porém, a história mudou, e já faz algum tempo que há uma visão diferente para esse tipo de desenvolvedor, que pode ganhar muito dinheiro dedicando o seu tempo naquilo que ele mais gosta.

 

De funcionário na Maxis a designer pago e independente

casas-virtuais-videogames-02

Os criadores de mods para videogames normalmente precisam vender suas criações diretamente para os jogadores interessados, ou liberar os trabalhos para todo mundo, com o objetivo de obter relevância e fama para serem contratados pelos estúdios que criaram os jogos originais. No caso de Shannon, os dois fatores se combinaram: ele recebe o patrocínio de centenas de jogadores, mas seus projetos estão disponíveis para milhões de jogadores de Cities: Skylines.

A carreiria de Shannon parecia estar encaminhada: depois de encerrar os seus estudos, ele trabalhou por um tempo na Maxis Emeryville, produtora de SimCity. Lá, ele desenhava prédios para as DLCs do jogo, até que foi demitido meses antes do fechamento em definitivo do estúdio.

Quando ele descobriu Cities: Skylines, decidiu começar a criar edifícios para esse jogo. E nem era para ganhar dinheiro, mas para se divertir e seguir aperfeiçoando sua técnica. Porém, seu trabalho com o aplicativo de design e edição de jogo o incentivou a vender o conteúdo que estava criando. E ganha hoje muito dinheiro com isso.

 

Todo um mundo a explorar… e exportar

Diferente do que acontece em outros jogos, o mercado para os modders em Cities: Skylines estava muito precoce. E foi aí que Shannon se deu bem, pois foi um dos poucos modders que permitem que a repetição do aspecto das cidades – com muitos edifícios básicos e muito repetitivos – não fosse um obstáculo para os jogadores.

Shannon afirma que cada edifício que ele cria do zero leva entre 15 e 20 horas de trabalho (o time lapse de uma dessas criações está no vídeo acima), mas agora que ele ele ganha a vida com isso existe uma certa pressão. Ele entende que as pessoas realmente valorizam suas ideias, e ele precisa criar prédios que não são simples reconstruções.

O modelo do Patreon se baseia na generosidade dos usuários, e Shannon devolve isso para os gamers: não só aqueles que doam ficam com os edifícios criados por Shannon, mas também todos os usuários. Os patrões podem receber alguns  extras exclusivos, como o comentário dos desenvolvedores, os arquivos de modelo ou os vídeos com o ‘making of’ desses edifícios.

 

Expectativas superadas, graças ao Patreon

Este designer não tinha ideia do que poderia alcançar no começo. “Quando recebi a minha primeira doação de US$ 1, me senti super animado. Na minha cabeça, pensei: ‘beleza, mais 80 mil edifícios e poderei pagar meus estudos’, e estava disposto a isso”.

Ele não precisou esperar tanto. O sucesso de Cities: Skylines (mais de meio milhão de cópias vendidas em poucas semanas) fez com que o seu trabalho fosse valorizado.

Hoje, cada um dos seus prédios oferece ingressos de mais de US$ 600, a meta necessária para transformar esse ofício em um trabalho em tempo integral. Ele precisa chegar ao valor de US$ 825 para igualar o que ele ganhava na Maxis, e não é improvável que ele alcance tal meta.

 

Você pode ser patrão do TargetHD!

O blog TargetHD também está no Patreon! Clique aqui e veja como você pode nos ajudar!