google-sochi-2014

Eu não precisava me alongar muito nesse post, pois a imagem acima fala por si. Mas vamos aos fatos.

Daqui a pouco (14h, horário de verão de Brasília), começa a cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno Sochi 2014. A Googe dedicou um doodle no Google Search para o evento, mas fez isso apoiando de forma explícita a comunidade homossexual.

A Rússia proibiu a propaganda homossexual como lei em 11 de julho de 2013, se transformando em um dos países com uma regulamentação mais homofóbica de toda a Europa, inclusive proibindo qualquer tipo de informação sobre a homossexualidade para as crianças. No meio de toda essa polêmica, os Jogos Olímpicos de Inverno tem um grande potencial para se transformar no cenário perfeito para reivindicação dos direitos civis dos homossexuais.

O doodle de hoje do Google Search faz alusão clara às cores da bandeira do movimento gay, além da citação de um trecho da Carta Olímpica, que é o documento que inclui todas as regras a se levar em conta para organizar os Jogos Olímpicos.

O trecho diz:

“A prática esportiva é um direito humano. Todas as pessoas devem ter a possibilidade de praticar esporte sem qualquer tipo de discriminação e conforme o ideal olímpico, que exige compreensão mútua e um espírito de amizade, solidariedade e fair play.” – Traduzido pelo Google a partir da Carta Olímpica

A mensagem é muito clara e direta. Não são poucas as pessoas na Rússia e ao redor do planeta que protestam para que essa lei seja eliminada da legislação do país, fazendo eco para algumas barbaridades que diversos grupos estão realizando, se aproveitando do ambiente preconceituoso que o país vive.

Um exemplo disso é o Instituto Canadense para a Diversidade e Inclusão, que publicou um vídeo (disponível no final desse post), defendendo a comunidade LGBT nos Jogos Olímpicos de Sochi. Vale a pena conferir pela originalidade do anúncio.

De qualquer forma, estamos em 2014. Não é mais aceitável viver em um mundo onde o preconceito e a intolerância podem ser vistos como “coisas normais” por mentes ignorantes. Antes de qualquer coisa, o ser humano tem o direito de ser livre, de ser feliz, e amar outro ser humano. O que realmente falta (e muito) para muita gente é o respeito às diferenças. Respeitar e entender que a escolha do outro não interfere na nossa.

E Sochi será o local dessa ampla discussão pelas próximas semanas.