Donald Trump, presidente dos Estados Unidos (acredite, se quiser), teria autorizado um ataque DDoS contra a Coreia do Norte.

A ordem não veio de forma imediata. No começo de 2017, Trump ordenou uma estratégia de pressão à distância contra a Coreia do Norte, que envolvia várias ações de ataque envolvendo várias frentes. Uma delas, a cibernética.

Logo, os EUA enviou um grande volume de tráfego de dados para a Reconnaissance General Bureau (RCB), o escritório de espionagem norte-coreano, que acabou desconectado a web.

Os ataques foram efetivos, mas não destrutivos. Durante os seis meses que durou a operação, os hackers da Coreia do Norte reconheceram muitos problemas por conta desse movimento.

A estratégia de pressão dos Estados Unidos aconteceu em vários níveis, até mesmo envolvendo alguns países que teriam laços com a Coreia do Norte que não foram reconhecidos publicamente e que (supostamente) ninguém deveriam saber que existem.

Vamos ver com o passar do tempo quais são os danos gerados a longo prazo após esses ataques.

 

Via The Washington Post