Trabalhar no Facebook é um sonho para muita gente, pelos privilégios e vantagens de estar em uma das principais empresas do mundo da tecnologia. Mas nem todos que trabalham na rede social mais usada do mundo estão vivendo este sonho.

Dois funcionários do serviço de cafeteria vivem se equilibrando com as contas para chegar ao final do mês. Victor, Nicole e seus três filhos vivem em uma garagem a poucos quilômetros da sede do Facebook em Menlo Park, e são quase vizinhos de ninguém menos que Mark Zuckerberg.

O mesmo Zuckerberg que está em turnê pelo país para identificar as reais necessidades das pessoas… não consegue ver o que acontece na cidade onde vive.

A funcionária da empresa fala do elevadíssimo custo de vida em Silicon Valley, o que os obriga a viver quase na miséria, mesmo com o Facebook pagando bem acima de um salário mínimo. O salário não dá conta para pagar um aluguel na região ou dar entrada em uma casa.

Por outro lado o salário é alto o suficiente para impedir que eles utilizem os serviços públicos sanitários. Os dois ainda não são grandes engenheiros como sonham, mas testemunham o Facebook jogando fora grandes quantidades de comida, que eles mesmos não podem aproveitar, por conta das normas internas da empresa.

Nicole garante que os funcionários do Facebook os tratam com arrogância, e eles não podem (por exemplo) levar os seus filhos para o trabalho. Tanto Nicole como Victor se filiaram ao maior sindicato de funcionários de empresas de tecnologia, algo que tanto o Facebook com a cafeteria contratada aprovam essa iniciativa.

Mas, obviamente, isso não resolve o problema dos dois.

 

Via The Guardian