apple

Onde a Apple guarda parte dos seus lucros?

De acordo com uma série de documentos obtidos pelo Conselho Internacional de Jornalistas de Investigação, ou Paradise Papers, a Apple evadiu impostos através de um paraíso fiscal na ilha de Jersey, em um montante que soma mais de US$ 128 bilhões.

Faz algum tempo que a Apple é acusada de evadir impostos em empresas fantasmas alojadas na Irlanda, que tinha leis bem frouxas sobre os impostos pagos por empresas estrangeiras.

Porém, os questionamentos às leis irlandesas fizeram que em outubro de 2013, o governo local modificasse suas regulamentações. As empresas que mais se aproveitavam tinham que pagar mais impostos, ou encontrar uma saída para manter a boa saúde fiscal.

Com isso, a Apple, com a ajuda do escritório de advogados Appleby, estabeleceu um escritório especial na Ilha de Jersey, no Canal da Mancha.

Jersey, apesar de ter laços com o Reino Unido, funciona como um estado independente e não filiado à União Europeia ou a nenhum outro grupo. Por isso, empresas como Apple, Facebook, Nike e Alianz se instalaram lá, encontrando um verdadeiro paraíso fiscal para acumular bilhões de dólares que o governo norte-americano jamais iria tocar.

 

 

A Apple se defende das acusações

 

A Apple afirma que os documentos estão cheios de imprecisões. Entre elas, que “as mudanças realizadas na estrutura corporativa em 2015 foram feitas justamente para seguir pagando impostos nos Estados Unidos, e não reduzí-los em outras partes do mundo”.

A Apple alega que a maioria dos impostos que paga ficam no seu país de origem, os Estados Unidos, onde os produtos são criados e desenvolvidos. A empresa afirma que cumpriu com as mudanças de legislação na Irlanda “ao pé da letra”, com o respectivo aumento no volume pago de impostos, conforme diz a lei do país.

Um dado curioso: ano passado, Steve Wozniak alertou que a Apple deveria pagar mais impostos.

 

Via CIPER, New York Times