microsoft teaser

A Microsoft revelou os seus resultados financeiros do segundo trimestre de 2016, e os resultados referentes ao segmento de smartphones são bem negativos. No primeiro trimestre, as quedas nas vendas foram de 73%, e no segundo trimestre, uma nova queda de 71%.

 

Números horríveis. De novo

Os números da Microsoft apontam diretamente para um status de coma do Windows 10 Mobile no mercado. Uma montanha de dados revelados pela empresa mostra que praticamente todas as suas divisões estão crescendo, enquanto que o segmento móvel, responsável pelos smartphones e pela expansão do sistema operacional móvel Windows 10 Mobile, revela uma desoladora queda de 71%.

Tudo vai bem na Microsoft, exceto nessa divisão. Isso só vai se resolver quando a empresa decidir entregar suas armas e se render de forma definitiva em uma batalha que, nesse momento, é praticamente perdida. Com o Android dominando o mercado e com a Apple com um número considerável de fiéis usuários que dificilmente vão mudar de plataforma, não há alternativa que sobreviva.

De fato, a divisão móvel da Microsoft não registra prejuízos apesar de sua queda de vendas, muito em partes porque restringiu ao máximo os investimentos na mesma. Se você não investe dinheiro em projetos e/ou desenvolvimento, não há dinheiro que precisa ser recuperado.

Em resumo: a Microsoft colocou a sua divisão móvel em coma, e está deixando morrer aos poucos, trimestre após trimestre.

 

O recurso da Microsoft

windows 10 mobile

A Microsoft decidiu deixar de fabricar dispositivos Lumia para dar espaço aos seus parceiros, que por sua vez começam a abordar mais o mercado empresarial. E essa parece ser uma das decisões mais acertadas a curto prazo.

Com a chegada do HP Elite X3 em breve e com o Surface Phone no futuro, a Microsoft ainda tem cartuchos para queimar em um setor que ainda depende muito do seu sistema operacional, e que pode ver com bons olhos a convergência do smartphone com o PC. O problema aqui é o que a empresa sempre enfrentou: os seus prazos muito dilatados.

A promessa de 1 bilhão de dispositivos com Windows 10 em 2018 feita em 2015 não será cumprida. E a divisão mobile tem uma certa dose de culpa nisso.