PewDiePie

 

A Disney encerrou suas relações com PewDiePie, possivelmente o youtuber mais famoso do mundo (ou pelo menos o que mais ganha dinheiro com isso).

O motivo foram suas piadas anti-semitistas e referências nazistas presentes em alguns dos seus vídeos nos últimos meses, com claras declarações de ódio contra os judeus.

A imagem que ilustra o post vem de um desses vídeos (que já deve ter sido removido do canal de PewDiePie), onde podemos ver dois índios que foram pagos pelo youtuber para segurar uma placa com os dizeres “morte a todos os judeus”, enquanto o protagonista finge surpresa.

O vídeo abaixo foi copiado por outro usuário.

 

 

Esta não é a única situação polêmica e constrangedora que Felix Kjellberg (o nome verdadeiro de PewDiePie) se envolveu.

Em outro vídeo, o youtuber mostrava um homem vestido de Jesus Cristo, dizendo “Hitler não fez absolutamente nada de errado”.

O nosso protagonista também é acusado de inserir suásticas, saudações nazistas e outras referências a um dos episódios mais cruéis e vergonhosos da história da Humanidade.

 

A Disney tinha um acordo com Felix via Maker Studio, uma divisão que gerencia seus vídeos através de uma rede chamada Revelmode. Um representante da empresa declarou que Kjellberg tinha independência editorial, mas “foi longe demais nesse caso, e os vídeos são inadequados”.

A Google, por sua parte, retirou os seus anúncios desses vídeos, mas não dos demais. O YouTube não se manifestou sobre o assunto.

 

Já o PewDiePie publicou uma mensagem em sua conta no Tumblr, explicando por que pagou duas pessoas para exibirem o cartaz:

 

“Estava tentando mostrar o quão louco é esse mundo moderno, especificamente em alguns serviços online. Escolhi algo que me pareceu absurdo (…) Estamos em 2017. Temos que começar a separar a piada do que realmente é um problema.” 

 

O youtuber até se atreveu a parodiar a si mesmo (vídeo acima), tentando mostrar as diferenças sobre o que é uma piada, e o que não é.

Mesmo tentando dar o assunto como encerrado, fato é que a brincadeira foi mais longe do que ele poderia imaginar. O site neo-nazista The Daily Stromer difundiu seus vídeos, nomeando Felix como o seu “ídolo número um”, agradecendo por introduzir às massas as suas ideias.

 

Sem comentários.

 

Via The VergeWall Street JournalThe Guardian