disney

A Disney anunciou que vai retirar os seus filmes da Netflix, uma vez que vai criar o seu próprio serviço de streaming, que deve estrear em 2019.

A Disney é uma das empresas de mídia mais importantes do mundo, já que é dona de muita coisa: Marvel, Star Wars, Pixar, ESPN, ABC, entre outras.

É um duro golpe para a Netflix, que diante da notícia, registrou queda de 5% no valor de suas ações. O acordo da empresa com a Disney estava ativo desde 2012, quando o mundo do streaming de vídeo ainda era uma novidade. O acordo foi renovado em 2016, e agora, os aliados se tornam concorrentes.

A Disney anunciou seus planos para entrar no mercado de streaming com um serviço próprio. Algo óbvio para uma empresa com uma quantidade gigante de conteúdo e franquias de muito sucesso.

O momento de independência chegou, e isso significa retirar todo o conteúdo da Disney da Netflix, que por sua vez vai manter todos os filmes e programas de TV incluídos no último contrato, que permanece até o final de 2018. Por enquanto, os acordos para a produção de séries originais da Marvel se mantém inalterados.

Vale lembrar que o atual acordo entre Disney e Netflix envolve apenas os Estados Unidos, mas a Disney busca meios para que ele tenha validade internacional, já que a empresa quer que o seu serviço de streaming esteja disponível gradualmente para todo o planeta.

A Disney antecipou que em sua nova plataforma teremos conteúdos clássicos da Disney, Pixar, Marvel e Star Wars, além de filmes e programas de TV. Também terá um forte investimento para a produção de conteúdo original e exclusivo, além de ser a única a contar com estreias como Frozen 2, Toy Story 4, Star Wars Episódio IX e a versão live-action de O Rei Leão.

A Disney está investindo US$ 1.58 bilhões na BAMTech, plataforma que faz o streaming dos jogos da MLB (Baseball), onde a empresa já tinha 33% de participação. Dessa forma, a BAMTech será responsável por gerenciar todo o conteúdo de streaming da nova plataforma.

Sem falar que, no começo de 2018, a ESPN vai estrear o seu serviço de streaming, que deve contar com mais de 10 mil eventos esportivos por ano, com acordos de transmissão para a MLB, NHL, MLS, NCAA e eventos do Grand Slam de tênis.

O objetivo da empresa em lançar o serviço de streaming da ESPN é deixar de depender das operadoras de TV por assinatura para negociar e vender conteúdos ao vivo para o telespectador, que poderá adquirir apenas o evento ou a modalidade esportiva, de forma semanal, mensal ou anual.

 

Via The Walt Disney Company