DishTV DishTV, operadora norte americanda de TV paga via DTH, está chegando ao Brasil

O mercado de TV por assinatura do Brasil vai receber um competidor de peso em breve. A DishTV, uma das principais operadoras do mercado norte-americano de TV via satélite (DTH), se prepara para começar a oferecer os seus serviços em território nacional.

Segundo matéria publicada pela Folha da São Paulo, depois de tentar, sem sucesso, a compra da operadora Oi, e de uma parceria frustrada com a Telefônica/Vivo (que decidiu fechar uma parceria com a Sky), a Dish decidiu entrar com um pedido de autorização de atividades na Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações). A Dish é controlada por Charles Ergen, e buscava um parceiro no país para entrar no nosso mercado. Porém, como as negociações da compra da Oi não engrenaram, e diferentes entraves na parceria da Telefônica/Vivo (o maior deles era a participação da Dish nas ofertas do serviço de TV via micro-ondas e DTH, algo que os espanhóis não aceitaram) obrigaram os norte-americanos a assumirem a responsabilidade maior da empreitada.

A DishTV é um serviço da Hughes Communications, que também é controlada por Charles Ergen. A Hughes venceu em agosto de 2011 o leilão realizado pela Anatel, que dava o direito à empresa de lançar um satélite no espaço brasileiro, derrotando na época a Sky, que por sua vez é controlada pela principal rival da Dish nos Estados Unidos, a DirecTV.

No lugar de lançar um satélite para atender o mercado brasileiro, a Hughes simplesmente reposicionou um satélite que estava cobrindo o México para o espaço brasileiro. Com isso, eles podem começar a transmissão dos seus serviços de TV paga via DTH assim que a Anatel conceder a autorização para início das operações. A Hughes teria até cinco anos para iniciar suas atividades no Brasil (de acordo com o leilão vencido em 2011), mas pelo visto Charles Ergen não quer esperar esse prazo, muito menos parceiros para a empreitada.

A pressa de Ergen é justificada. Apesar das diversas opções de consumo de conteúdo de vídeos atuais (download, streaming, YouTube, Netflix, etc), segundo estudo da consultoria Digital TV Research, até 2017, o Brasil vai responder pela maior parte do crescimento de assinantes de TV paga no mundo, sendo um dos países que pode efetivamente expandir os lucros das empresas que aqui atuam. É estimado que, em seis anos, as empresas do setor lucrem mais que o dobro aqui do que nos Estados Unidos.

O que o consumidor ganha com isso? Bom, a chegada de uma operadora de peso como a DishTV vai abrir uma competição ainda mais pesada no segmento de TV por assinatura via DTH. Apesar de ser a maior operadora da categoria no Brasil, a Sky hoje enfrenta a concorrência de operadoras que também contam com investidores estrangeiros, como é o caso da própria Telefõnica/Vivo e da Claro TV. O impacto estimado que a DishTV pode gerar nos preços dos pacotes é de uma redução de até 30%, uma vez que estamos falando de um concorrente direto do grupo DirecTV nos Estados Unidos. E lá, a estratégia da Dish é oferecer preços reduzidos com uma grande oferta de canais.

Esperamos que eles repitam a estratégia no Brasil.

 

Via Folha de São Paulo