Um dos elementos favoritos dos usuários do Windows Phone (segundo a Microsoft) é o seu teclado virtual. O motivo? Os truques e ferramentas presentes para facilitar a digitação, com a sugestão de termos. Esta função foi criada depois de estudos de cada idioma, mas o smartphone também pode se adaptar à forma de escrever do seu dono, aprendendo os idiomas conforme o usuário utiliza esse teclado.

Introduzir caracteres especiais

Uma das funções mais básicas é a de encontrar caracteres especiais, como letras acentuadas. Com a maioria dos usuários já sabe, para você inserir esses caracteres, basta manter pressionada a tecla virtual para que esses caracteres apareçam. Mas isso também funciona com os símbolos de pontuação, de modo que não é necessário acessar o teclado especial para encontrar alguns desses símbolos. O mesmo ocorre com as extensões mais comuns, como .org, que está dentro da tecla .com.

Neste sentido, vale lembrar que não é necessário acessar um novo menu, pois é possível arrastar o dedo até o caractere desejado (sem levantá-lo), depois de pressionar a tecla de mudança de teclado, e assim, economizar um passo em sua digitação.

Inserções inteligentes

Também é possível adicionar qualquer palavra na ferramenta inteligente de sugestões, de modo que essas palavras apareçam no futuro. Para fazer isso, basta você escrever essa palavra, selecionar e, quando ela aparecer um símbolo de “+”, pressionar sobre esse símbolo.

Quando uma palavra passa a formar parte dessa ferramenta, será sugerida de forma mais frequente, mas também será mais fácil a sua redação. Isso acontece porque a Microsoft incluiu uma função que faz com que a área de impacto de cada tecla varie automaticamente a medida que o usuário escreve, em função da provável palavra que está sendo escrita.

Por exemplo, se o telefone detecta que o usuário está escrevendo “feliz an”, o sistema vai considerar que o mais certo é que o próximo caractere seja um “i”, aumentando assim a área dessa letra, reduzindo as teclas “u” e “o”. Desse modo, os erros de digitação diminuem consideravelmente.

Como eles fazem isso?

A Microsoft utiliza uma série de truques para facilitar a escrita. Primeiro, estuda os idiomas disponíveis. Depois, revisam 2.5 bilhões de palavras em inglês, quando desenvolveu o sistema, mas limitou o seu dicionário a 600 mil palavras, por causa dos limites de armazenamento. Por causa disso, os usuários que dominam (ou utilizam) vários idiomas podem baixar os dicionários que mais utilizam (e se adaptam ao seu modo de escrita), pois o Word Flow tem uma porcentagem de acerto de até 94%, segundo garante o pessoal de Redmond.

Mas não basta conhecer as palavras. E necessário também receber informações sobre sua frequência de uso. Para isso, eles contam com os dados obtidos pelos próprios usuários (anônimos, e nunca incluindo senhas, nomes, números ou qualquer tipo de informação pessoal), além do trabalho de mais de 20 anos da equipe de desenvolvimento do Office.

Além disso, a Microsoft utilizou o Twitter e a Wikipedia para oferecer sugestões e correções mais relevantes. Desse modo, eles conseguiram por exemplo que o seu dicionário reconhecesse detalhes sobre Harry Potter ou George Clooney. E com toda essa informação, a evolução do Quick Type só tem que observar o que o usuário escreveu apara decidir qual é a melhor opção de palavra.

Abaixo, um vídeo demonstrativo dessa tecnologia em prática.

Via blogs.windows.com