O Windows tem mais de 90% de mercado, mas ele não é a única opção para o usuário final, obviamente. O macOS da Apple tem a sua base assentada, e o Linux ainda é apoiado por alguns fabricantes. Sem falar no Chrome OS, que não é o foco desse post.

Muitos sistemas operacionais livres e gratuitos podem ser muito úteis para as mais diversas finalidades. Podem não substituir o Windows por completo, mas vale a pena o uso em equipamentos independentes, máquinas virtuais e computadores antigos.

Neste post, temos dez dicas de sistemas operacionais gratuitos que podem ser bem úteis para muita gente. E de graça!

 

 

FreeBSD

Se você usa um sistema operacional livre que não é um Linux, provavelmente está baseado em BSD. Apesar do FreeBSD não poder ser chamado propriamente de UNIX por não ter adquirido a devida licença, é um dos clones do UNIX mais populares.

Aliás, partes do FreeBSD estão licenciadas para outros softwares proprietários, como o macOS, o firmware do PlayStation 4 e alguns roteadores.

Saiba mais: FreeBSD

ReactOS

Sistema de código aberto para PC x86/x64 compatível a nível binário com aplicativos e drivers Windows. Aplica parcialmente muitas APIs do sistema da Microsoft e colabora com o Wine para o melhor funcionamento dos programas. É o mais próximo do Windows sem Microsoft que você pode encontrar.

Saiba mais: ReactOS

FreeDOS

Sistema com licença GPL que é totalmente compatível com aplicativos e drivers do MS-DOS. Trabalha com linhas de comandos com o interpretador FreeCOM. Vem pré-instalado em equipamentos de fabricantes que oferecem os dispositivos sem sistema operacional pré-instalado. É perfeito para rodar jogos antigos do DOS.

Saiba mais: FreeDOS

Haiku

Um sistema livre com licença MIT inspirado no BeOS, mantido pela organização sem fins lucrativos. Conta com um micronúcleo modular próprio, o NewOS, otimizado para o trabalho multimídia, com áudio, vídeo, gráficos e animações em três dimensões. Trabalha com os aplicativos do BeOS e seus controladores, e pode encontrar outras distribuições que podem ser encontradas como disco virtual para o VirtualBox.

Saiba mais: Haiku

illumos

Software livre com licenças MIT e BSD baseado no OpenSolaris, criado a partir da versão privada do Solaris original da Sun Microsystems. A iniciativa veio de alguns dos engenheiros principais da Solaris, com o objetivo de seguir com o desenvolvimento e manutenção do código OS/NET da Oracle de forma independente e comunitária.

O illumos não é uma distribuição por si, mas oferece o código base onde qualquer pessoa pode criar a sua distribuição baseada no OpenSolaris. As principais distribuições são: OpenIndiana, Nexenta, BeleniX e SchilliX.

Saiba mais: illumos

Syllable

Projeto baseado no AtheOS, que era um clone do AmigaOS. Compatível com arquiteturas x86, está disponível em versões cliente e servidor, contando com aplicativos próprios. Sua maior virtude está na sua eficiência em máquinas com hardware fraquíssimo, a partir de 32 MB de RAM, e sua instalação completa ocupa apenas 250 MB.

Saiba mais: Syllable

AROS Research Operating System

Mais um que implementa em código aberto as APIs do AmigaOS, com os executáveis compatíveis a nível binário com processadores 68k, além de ser compatível em código com outras arquiteturas como a x86 de forma nativa. É portátil e pode rodar hospedado no Windows, Linux e FreeBSD.

Saiba mais: Aros Research Operating System

MenuetOS

Também conhecido como MeOS, se destaca por ser desenvolvido para funcionar em equipamentos muito básicos, mesmo suportando até 32 GB de RAM. O sistema todo cabe em um disquete de 1.44 MB, mas suporta um ambiente gráfico completo e controladores para teclados, vídeo, áudio, USB ou impressoras.

Saiba mais: MenuetOS

DexOS

Um sistema operacional de 32 bits escrito para a arquitetura x86. Foi desenvolvido para programadores que querem ter acesso direto ao hardware (incluindo CPU e gráficos) com um código bem comentado e documentado.

Saiba mais: DexOS

Visopsys

Outro sistema gratuito e livre vai GPL, que está em desenvolvimento desde 1997, como hobby de apenas um programador, Andy McLaughlin. Suporta arquiteturas x86, está escrito em C e não se baseia em nenhum sistema pré-existente, apesar de utilizar o código do kernel Linux. Oferece ferramentas comuns de GNU e parte da interface gráfica do usuário como os ícones são famiiares aos usuários do KDE Plasma.

Saiba mais: Visopsys