Pesquisadores da Universidade de Hardware realizaram um casamento um tanto quanto atípico: um detector de metais junto com um smartphone, que conseguem melhorar a detecção de minas no Terceiro Mundo. Até a presente data, a localização de minas exige contar com ouvidos aguçados que diferenciam, por exemplo, uma lata de refrigerante de uma mina. Essa nova combinação elimina essa tarefa adivinhatória, ao mapear os sons na tela do smartphone, criando uma silhueta daquilo que está debaixo da terra. Esse novo avanço pode resultar em uma redução de preço dos PETALS, como esses detectores são conhecidos (acrônimo de Pattern Enhancement Tool for Assisting Land mine Sensing), aumentando sua eficiência em 80%.

via Hardvard.edu