Um grupo de cientistas da universidade de Tóquio descobriram um novo composto, o pentaóxido de titânio (Ti3O5) que pode ser usado como mídia para armazenar dados em disco óptico. Este material pode trazer duas grandes vantagens em relação ao germânio ou similares, que são utilizados nos Blu-rays atuais. A primeira delas é o seu baixo preço e, por isso, a chance de fabricação em grandes quantidades. A segunda vantagem é a capacidade de acumular um volume de informação muito maior: mesmo com falta de dados conclusivos, estima-se que seria capaz de multiplicar a capacidade do Blu-ray entre 200 e 1000 vezes.

Fonte