denuvo

O Denuvo ficou oficialmente obsoleto. Durante 2015 e parte de 2016 foi considerado um sistema “incrackeável”, e alguns ousaram afirmar que ele representaria o fim da pirataria nos games. Porém, foi superado menos de 24 horas depois dos dois últimos jogos que aida o utilizava.

Total War: Warhammer 2 era protegido pelo sistema anti-cópia Denuvo, mas poucas horas depois do lançamento já havia um crack efetivo. O mesmo aconteceu depois com FIFA 18, cujo crack apareceu em menos de um dia.

O STEAMPUNKS é o grupo responsável pelos cracks, e a rapidez obtida demonstra que eles possuem um método muito rápido e eficiente para saltar a proteção. Algo que era previsto depois que os vários cracks de jogos protegidos com ele levaram alguns meses para serem burlados.

De qualquer forma, o que aconteceu com o Denuvo foi o mesmo que ocorreu com todos os sistemas anti-cópia no jogo de gato e rato entre a indústria de games e os crackeadores. O mais lógico é que um novo sistema impeça o crack de forma limitada, mas que será superado com relativa facilidade.

 

 

O Denuvo era diferente, pois era desenvolvido por ex-crackers aposentados. Se manteve invicto durante algum tempo em vários jogos importantes.

Mas em 2016, o primeiro jogo protegido por ele caiu na rede, FIFA 16. Naquela ocasião, o sistema anti-crack não foi superado, mas sim acharam uma forma de adaptar o jogo para outro formato. Porém, em agosto de 2016, a tecnologia foi superada em Rise of the Tomb Raider.

Naquele primeiro caso, o sistema levou sete meses para ser superado. Mas uma vez o processo aprendido, era questão de tempo para que outros grupo também aprendessem. Nos meses seguintes, os cracks foram em volume tamanho, que jogos como Mass Effect: Andromeda deixaram o Denuvo de lado.

Desde então, o crack desse sistema de DRM evoluiu até chegar ao ponto de em menos de 24 horas um jogo ser superado. Isso só ilustra a relevância do “superar um sistema incrackeável”, que se tornou um sistema rapidamente vulnerável.

 

Via Reddit