deepbach

 

DeepBach é o nome que a Sony CSL batizou o seu sistema de inteligência artificial que é capaz de compor cantatas para coral, no mais puro estilo Bach.

É um novo avanço que corrobora com o enorme potencial que pode ter a inteligência artificial hoje. Estamos diante de uma rede neuronal que foi treinada através da técnica do machine learning.

Para isso, a mesma foi alimentada com 352 peças para coral compostas por Bach, que posteriormente foram transpostas para outros tons dentro de um alcance vocal definido, conseguindo assim desenvolver nada menos que 2.503 peças.

 

Um sistema capaz de fazer duvidar a músicos profissionais

 

De toda essa informação, 80% da mesma foi utilizada para que a própria rede neuronal fosse capaz de reconhecer harmonias, enquanto que os 20% restantes são utilizados como sistema de validação.

Com isso, o DeepBach é capaz de compor sozinho melodias que, exceto quem tem um ouvido muito treinado, pode enganar a maioria das pessoas, se passando por uma composição real de Bach.

Nos testes realizados, foi possível desenvolver uma ferramenta que mostrasse duas harmonias de uma mesma melodia para um grupo de usuários determinar qual das duas soava mais como Bach.

O grupo era composto por 1.600 pessoas, das quais 400 eram músicos profissionais e estudantes. Mais da metade das pessoas determinou que a música do DeepBach era uma composição de Bach.

 

 

Via MIT