A CyanogenMod anunciou hoje (22) que sua equipe já está desenvolvendo uma nova versão de sua famosa ROM customizada, já baseada no código fonte da mais recente versão do sistema operacional móvel do Google, a Android 4.2 Jelly Bean.

A ROM em questão é a CyanogenMOD 10.1, e não a versão 11 da plataforma, como se especulava anteriormente. O motivo dessa escolha é simples: a mudança do Android 4.1 para 4.2 não foi tão grande, logo, a nomenclatura não precisa de uma mudança tão drástica. Segundo o programador conhecido como Cyanogen (Steve Kondik), a ROM está em fase de desenvolvimento, mas eles já conseguiram fazer com que algumas das principais características do Android 4.2 funcionassem com sucesso, como o seu renovado centro de notificações e os widgets na tela de bloqueio.

O anúncio do desenvolvimento dessa versão customizada do novo Android foi feita no perfil do próprio Cyanogen no Google+, que é onde ele costuma fazer as declarações desse porte. O desenvolvimento das ROMs alternativas já é possível, uma vez que o código fonte do Android 4.2 foi liberado via AOSP (Android Open Source Project), e entre as diversas customizações que devem aparecer nas próximas semanas, a mais esperada é, sem sombra de dúvidas, a da CyanogenMod, uma vez que eles contam com mais de 2 milhões de usuários.

Um dos desafios de toda customização que se preze é o período de adaptação necessário para cada dispositivo existente. O mesmo acontece com a equipe da CyanogenMod, ou seja, não adianta os usuários se desesperarem, ou usar de pressão psicológica para apressar o desenvolvimento dessas ROMs. Elas estarão prontas no seu tempo certo (palavras do próprio Cyanogen), já que a única regra que ele mesmo impõe aos usuários é que não fiquem perguntando para os desenvolvedores quando a ROM será lançada (o pessoal que faz legendagem de séries sabe o quão chato é esse comportamento…).

Por fim, não podemos deixar de mencionar o notável compromisso desses desenvolvedores independentes com a comunidades de usuários, que na sua maioria se encontram abandonados pelos fabricantes dos seus respectivos dispositivos no quesito atualizações, mas conta com a CyanogenMod e outros desenvolvedores para receber a mais recente versão do Android.